Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Maioria parlamentar trata as matérias relevantes “de forma avulsa”
Cristóvão Crespo censura a política fiscal do governo e fala numa estratégia “colada com cuspo”.
A Assembleia da República apreciou, esta quarta-feira, a Proposta de Lei da ALRAM que altera o Código do Imposto sobre o Valor Acrescentado (CIVA) e repõe a eletricidade na lista 1 de bens e serviços sujeitos à taxa reduzida do CIVA.
Em nome do PSD, Cristóvão Crespo recordou que com esta iniciativa, a ALRAM pretende reverter uma medida do memorando da troika, assinado em maio de 2011, pelo PS, e que visava aumentar as receitas de IVA para obter uma receita adicional de, pelo menos, 410 milhões de euros. Para o deputado, “a situação de que trata esta matéria, o IVA da eletricidade, é o espelho da atuação da maioria parlamentar desta legislatura. Esta maioria PS, BE e PCP tem tratado as matérias relevantes para a generalidade dos portugueses, sejam residentes na Madeira, nos Açores ou no Continente de forma avulsa”.
Cristóvão Crespo frisa que esta matéria não pode ser equacionada de forma isolada, mas num quadro de redução da carga fiscal. “Não pode ser equacionada sozinha, não faz sentido. Têm de ser ponderadas outras medidas sobre a carga fiscal e enquadrada no contexto da despesa do Estado”.
A terminar, Cristóvão Crespo lamentou que toda a estratégia desta maioria seja “colada com cuspo”.

03-07-2019 Partilhar Recomendar
04-07-2019
Governo transpõe diretivas europeias fora de prazo e sem os pareceres das entidades especializadas
    Inês Domingos fala em desrespeito pelo Parlamento.
02-07-2019
20 países da União Europeia cresceram mais do que Portugal em 2018
    Apontando vários exemplos do falhanço governativo do PS, Inês Domingos adiantou que é tempo de “escolher uma alternativa reformista”.
19-06-2019
Governo das esquerdas é “forte com os fracos e fraco com os fortes”
    António Leitão Amaro fala numa “carga fiscal máxima para serviços e investimento público no mínimo”.
19-06-2019
Virgílio Macedo acusa a Autoridade Tributária de ter realizado um “arrastão fiscal”
    O deputado considera que as ações de cobrança de impostos na estrada “só aprofundam o sentimento de perseguição tributária dos contribuintes".
19-06-2019
PSD critica desproporção da atuação do Estado em relação à cobrança de dívidas
    Inês Domingos recordou que ao mesmo tempo que se faziam ações de cobrança de impostos na estrada, o PS votava contra a divulgação da lista dos grandes devedores à banca.
19-06-2019
Relação criada entre o governo e os contribuintes é marcada pela deslealdade
    Cristóvão Norte fala num executivo que “esconde, dissimula e anestesia os portugueses”.
12-06-2019
“É caótica e intolerável a excessiva demora deste governo na atribuição das pensões por reforma”
    Leonel Costa alertou para as graves consequências destes atrasos.
12-06-2019
“Em 2017 foi escrita uma das páginas mais negras da história recente de Portugal”
    No debate da Conta Geral do Estado de 2017, Cristóvão Crespo afirmou que “a política de cativações traduziu-se na ausência do Estado”.
07-06-2019
Governo “quer criar um pântano na supervisão”
    Inês Domingos acusou o executivo de “atacar de forma inusitada a independência dos reguladores do setor financeiro”.
07-06-2019
Com Sócrates procuraram controlar “o sistema financeiro”, com Costa querem “o assalto completo às entidades independentes”
    Duarte Pacheco considera que o objetivo da alteração à Lei que regula o sistema de Supervisão Financeira é colocar em causa a independência dos reguladores.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas