Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
“Menos 1.500 milhões de euros em investimento público. É isto o fim da austeridade?”
No debate da Moção de Censura, Emídio Guerreiro frisou que “os problemas do país resolvem-se cumprindo com o que se promete e não com palavras, anúncios e propaganda”.
Na discussão da Moção de Censura, Emídio Guerreiro levou a debate os problemas e dificuldades que os portugueses sentem no dia-a-dia. Depois de inúmeras promessas de que se ia “virar a página da austeridade”, o social-democrata confrontou o Primeiro-Ministro com a realidade dos números que demonstram que este governo realizou cortes brutais no investimento público.
Recorda o social-democrata que ao longo da governação o Primeiro-Ministro foi sempre afirmando a importância do investimento público para a recuperação económica. “Disse várias vezes que o governo anterior era um inimigo do investimento público. Que com o seu governo se virava a pagina da austeridade e se privilegiava o investimento. A poucos meses das eleições, olhemos então para o seu desempenho nesta matéria, nomeadamente no que respeita ao investimento da exclusiva responsabilidade da administração central, sem contar com o investimento autárquico ou dos governos regionais”.
De acordo com Emídio Guerreiro os números revelam que “são cerca de menos de 1500 milhões de euros investidos se tivesse mantido o investimento de 2015. É isto o fim da austeridade? E a consequência é aquela que os portugueses sentem com a degradação de inúmeros serviços públicos de norte a sul do país”.


Focando-se no investimento na saúde, o parlamentar recordou que “os que deixaram dívidas monstruosas nos hospitais que o governo anterior teve de pagar e que enchem a boca com a necessidade de investir no SNS”, o que têm para mostrar é um investimento de menos 16,3% que em 2015. Como consequência desse desinvestimento, adianta o Vice-Presidente do Grupo Parlamentar do PSD, temos a falta de medicamentos das farmácias, os meses de espera para um consulta e cirurgia, entre muitos outros efeitos negativos.



Quanto ao investimento em educação, área onde as promessas foram muitas, Emídio Guerreiro revelou um desinvestimento constante desde 2015. “Sabe quais são as consequências disto? São o que as famílias sentem quando vão às escolas falar com os diretores de turma e estes dizem que estão desmotivados, abandonados e insultados pelo governo diariamente. Ou quando vão falar com o diretor da escola e ouvem que não há dinheiro para reparar a escola e não há funcionários suficientes. Mas isto são consequências que a maior parte dos senhores não conhece, porque não vão à escola pública, porque não têm lá os vossos filhos. É isto o fim da austeridade”, questionou.


Por fim, o social-democrata referiu o desinvestimento em infraestruturas, o “departamento do dr. Pedro Marques, agora cabeça de lista das europeias”. Lembra o deputado que promessas foram milhares, powerpoints centenas, festas de arromba para lançamento de aberturas e concursos também não faltaram. Contudo, frisa, os números são claros: são menos 27,5% de investimento do que o concretizado em 2015.



“E mais uma vez as consequências não são sentidas pelos membros do governo que circulam nas estradas nos carros oficiais com motoristas. São sentidas pelos milhares de jovens e crianças que circulam a caminho das escolas em estradas cada vez mais degradadas, algumas a ameaçar ruir. Ou pelos milhares de portugueses que viram comboios a ser suprimidos, com atrasos sem fim, comprando bilhetes de intercidades e sendo obrigados a andarem em comboios regionais ou, pior ainda, estarem a caminho do trabalho e ter de parar porque o motor do comboio caiu em andamento”.
A terminar, Emídio Guerreiro disse ao Primeiro-Ministro que esta é a realidade que os portugueses sentem no dia-a-dia. “E tudo porque os senhores falam e não cumprem. Anunciam, mas não concretizam. E o senhor sabe que estes problemas não se resolvem com soluções familiares, resolvem-se cumprindo com o que se promete e não com palavras, anúncios e propaganda. Isso afagará o vosso ego, mas não resolve os problemas dos portugueses”, rematou.

20-02-2019 Partilhar Recomendar
29-03-2019
Bruno Coimbra compara a geringonça a “uma retroescavadora”
    O deputado afirmou que a esquerda, enquanto vai subindo impostos, “vai cavando as diferenças entre Lisboa, Porto e o resto do país”.
29-03-2019
“O PSD é a favor de uma forte aposta no serviço público de transporte”
    Virgílio Macedo reiterou que os sociais-democratas apoiam a redução dos custos dos passes sociais como um fator de motivação para o uso destes transportes.
29-03-2019
Passes Sociais: “estamos a favor, mas a medida precisa de muito trabalho para se eliminarem as injustiças”
    Cristóvão Norte lamentou que esta medida não abranja todos os portugueses.
29-03-2019
Passes socias: PSD lamenta que a medida não tenha o objetivo de servir todos da mesma forma
    Emídio Guerreiro desafiou o PS para uma rápida revisão deste processo para que seja dada uma resposta igual a todos os portugueses.
28-03-2019
Portugal não tem um Ministério da Saúde, tem um “Ministério da Doença”
    Segundo José de Matos Rosa o governo e os partidos da esquerda estão “a pôr em causa o Serviço Nacional de Saúde”.
28-03-2019
Sara Madruga da Costa desafia o governo a seguir “o bom exemplo da Madeira”
    Em causa o descongelamento das carreiras dos enfermeiros e dos professores.
28-03-2019
Farmácias hospitalares encontram-se numa situação dramática
    Ana Oliveira fala numa rutura de serviços e falta de profissionais.
28-03-2019
Inação e inoperância do governo colocam em causa a sustentabilidade da ADSE
    Simão Ribeiro recordou o alerta deixado pelo Conselho de Supervisão da ADSE sobre a necessidade de se alargar o número de beneficiários.
28-03-2019
“Resta aos portugueses esperar pelas eleições e dar lugar a um governo competente”
    No debate sobre Saúde, Luís Vales colocou em evidência o fracasso do executivo na política do medicamento.
28-03-2019
Médico de família para todos: mais uma promessa que o governo não vai cumprir
    Ricardo Baptista Leite lembrou que há mais de meio milhão de portugueses sem médico de família.
Início Anterior Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas