Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Precários do Estado: PS, PCP e BE falharam e faltaram à verdade a estes trabalhadores
Carla Barros lamentou o “tacticismo” e a “encenação” dos partidos da esquerda em torno do PREVPAP.
Carla Barros considera que o agendamento pelo PCP de um debate sobre o Programa de Regularização Extraordinária dos Vínculos Precários na Administração Pública (PREVPAP) “não passa de um refinado tacticismo político-partidário, uma encenação”.
De acordo com a deputada, os comunistas apresentam-se neste debate com uma dupla representação: por um lado o PCP tem de intimidar e acusar um governo fraco e incumpridor para com os trabalhadores, por outro tem de orgulhar-se do quanto é ótimo e maravilhoso fazer parte desta solução de governo. “É muito, mas muito vazio de nobreza e dignidade político-partidária, o papel que os senhores assumem neste debate. Por isso, as falhas, os atrasos, a confusão, as promessas não cumpridas, os senhores deputados do PS, do PCP e do BE, terão que as assumir em conjunto”.
De seguida, a parlamentar recordou que o Grupo Parlamentar do PSD recebe todos os dias apelos e exposições dos trabalhadores com vínculo precário, que se sentem injustiçados por este governo. Nesse sentido, adianta, cabe ao PSD assumir o seu papel ativo na fiscalização da atividade do governo. “Vale a pena repetir que não acompanhamos esta metodologia criada no Programa de Regularização Extraordinária de Vínculos Precários da Administração Pública. Mas defendemos a urgente necessidade neste combate à precariedade. O PSD é diferente. Queremos empresas fortes, empresas que se multiplicam na criação de postos de trabalho, que criam emprego, que criam clima económico, mas também queremos e exigimos que os trabalhadores sejam respeitados. Hoje, o PS, não sabe o que quer para as empresas, nem sabe o que quer para os trabalhadores. Sabe tão somente que o importante é a boa disposição com o PCP e com o Bloco de Esquerda”.
Carla Barros lamentou ainda que com estes partidos os portugueses e o país nunca estejam em primeiro e que o PS não saiba o que quer para os serviços públicos. “Sabe tão somente esvaziar os recursos dos serviços públicos, fazer-lhes cativações, destruir os serviços, dificultando o acesso dos cidadãos à saúde, à educação, à justiça, aos transportes e enganar os funcionários públicos com promessas que nunca serão cumpridas”.
Depois de recordar que estamos a 24 dias do fim de 2018, data que em que se devia dar por terminada a integração de milhares de trabalhadores com vínculo precário no Estado, a social-democrata enfatizou que hoje se pode dizer claramente e sem margem para dúvidas: “o PS, o PCP e o BE falharam e faltaram à verdade a estes trabalhadores e às suas famílias que acreditaram que isto seria possível. Assumam que a metodologia falhou e o compromisso não foi honrado, só faltam 24 dias para o final deste calendário. A falta de rigor e de transparência e de cumprimento de prazos são manchas bastante negras que jamais se apagarão neste processo”.
A terminar, Carla Barros recorreu a uma frase que tinha utilizado dias antes em outra intervenção: “não há memória na história do país, de um governo que tanto tenha prometido aos trabalhadores e tão pouco tenha feito por eles.”

07-12-2018 Partilhar Recomendar
22-02-2018
PSD rejeita tentativa do PCP de impor a empresas e municípios o Acordo de Empresa da EPAL
    Susana Lamas frisa que os comunistas desrespeitam os sindicados e o princípio da livre negociação coletiva.
22-02-2018
“Tem que existir uma relação equilibrada de deveres e direitos entre a administração fiscal e os cidadãos”
    No entender de Cristóvão Crespo o rigor e a exigência devem ser exigidos a ambas as partes.
22-02-2018
CTT: Paulo Rios de Oliveira critica irresponsabilidade da esquerda-radical
    O deputado desmontou, ponto a ponto, as mentiras do PCP, BE e PEV.
24-01-2018
Entrega do IRC: “é tempo de o Governo avançar com um novo calendário fiscal”
    Margarida Balseiro Lopes considera que urge essa alteração a bem da estabilidade, previsibilidade e tranquilidade dos contribuintes.
15-12-2017
CTT: Luís Leite Ramos assinala “falta de pudor” dos socialistas
    O deputado sublinhou que “só a falta de vergonha” é que pode levar o PS a acusar o PSD de ter tomado a decisão de privatizar os CTT.
06-12-2017
“Este é um governo sozinho e esgotado”
    Hugo Soares afirmou que em questões estruturais o governo não pode contar com BE e PCP e questionou António Costa sobre o Infarmed e sobre o “flick flack à retaguarda” do PS em relação ao imposto das renováveis.
26-10-2017
Carla Barros considera que o PS devia introduzir uma “lei travão” no BE e no PCP
    A deputada alerta que não há garantias de que os direitos que são atribuídos hoje aos trabalhadores possam ser garantidos no futuro.
26-10-2017
“O PSD sempre se preocupou com os trabalhadores da administração pública”
    Prova disso, adianta Álvaro Batista, é a iniciativa do PSD que estabelece a responsabilidade da entidade patronal pela formação obrigatória dos trabalhadores.
26-04-2017
Passos Coelho acusa o PS de lidar mal com entidades independentes
    O líder do PSD recordou a velha máxima socialista de que “quem se mete com o PS leva”.
23-02-2017
“No último ano assistimos a uma evidente degradação na prestação de serviços públicos”
    Segundo Luís Marques Guedes “degradação” é a palavra de ordem da esquerda na gestão dos serviços públicos.
Início Anterior Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas