Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Bloco de Esquerda trocou as convicções por migalhas de poder
Carlos Silva recorda que os bloquistas apoiam uma “carga fiscal máxima com serviços públicos mínimos”.
No debate do Orçamento, Carlos Silva afirmou que esperava que o Bloco de Esquerda aproveitasse este debate para pedir desculpa aos portugueses. Segundo o deputado, os Partidos que rasgavam vestes na anterior legislatura, que marchavam contra a degradação dos serviços públicos, apesar de a troika condicionar as opções do país, são os mesmo que agora aceitam cortes dolorosos e brutais no Orçamento para 2019 e que irão provocar recuos na economia e atrasam o progresso social.
Dirigindo-se à bancada bloquista, o social-democrata quis saber como vai o BE votar um Orçamento que corta no investimento público, que tem cativações recorde, que põe a carga fiscal em máximos de sempre aumentando impostos indiretos, que injeta 850 milhões de euros nos veículos dos Bancos. “É penoso constatarmos que o BE se encontra bloqueado, a aceitar os garrotes que são impostos todos os dias pelas cativações de Mário Centeno, em áreas como a saúde a educação ou os transportes, que funcionam hoje em dia, pior que durante o tempo da troika. Os senhores engoliram todas as vossas linhas vermelhas dos tratados orçamentais ao défice”.
Face a este cenário, Carlos Silva frisou que os deputados do BE “estão acorrentados à solução política que viabilizam, que não é mais que um orçamento de fachada da geringonça, porque o orçamento real é o das cativações, que sufocam o estado social e a economia”.
A terminar, o social-democrata afirmou que “o BE foi comprado por um prato de lentilhas, finge-se preocupado com os portugueses mais pobres, mas cola-se a Costa abandonando os enfermeiros, os professores os polícias. Trocaram as vossas convicções do passado por migalhas de poder. O BE obedece em nome da sobrevivência política, protesta, mas depois vota no orçamento de carga fiscal máxima para serviços públicos mínimos”.

29-10-2018 Partilhar Recomendar
28-11-2018
Inês Domingos: “as empresas são ignoradas por este governo”
    A deputada refere que todas as associações empresariais consideram que este Orçamento não serve.
28-11-2018
Taxa adicional no imposto dos combustíveis retirou mil milhões de euros aos portugueses
    António Leitão Amaro acusou os partidos da esquerda de faltarem à promessa de reduzir o imposto.
28-11-2018
Ala Pediátrica do Hospital São João: socialistas continuam a falhar as suas sucessivas promessas
    Ricardo Baptista Leite considera que é incompreensível o que se passa e defendeu a realização imediata da obra.
27-11-2018
“As propostas do PSD para o IVA da cultura eliminam o caracter discricionário e discriminatório do Orçamento”
    José Carlos Barros contestou a diferenciação introduzida pelo governo entre tipos e locais de espetáculos.
27-11-2018
“Este Orçamento apenas tem o apoio da geringonça”
    Paulo Rios de Oliveira recordou que sindicatos, associações empresariais e ordens profissionais estão contra a proposta do governo.
27-11-2018
PSD quer corrigir a discriminação inaceitável entre portugueses emigrantes criada no Orçamento
    José Cesário sublinhou que se trata de uma questão de respeito por todos os nossos emigrantes.
27-11-2018
Duarte Pacheco destaca proposta do PSD para combater a especulação imobiliária
    Segundo o deputado a intenção é baixar a carga fiscal para quem tem um comportamento correto e agravar para quem tem comportamentos especulativos.
27-11-2018
Virgílio Macedo: “este é um Orçamento que só pensa no presente”
    O deputado lamentou a ausência de medidas de apoio à poupança e alertou para os riscos.
27-11-2018
Resolução dos problemas do mercado de arrendamento não pode ser feita à custa dos proprietários
    António Costa Silva sublinha que a correção deve ser efetuada através do estímulo da oferta.
27-11-2018
Cristóvão Crespo: a especialidade desta maioria é aumentar e criar impostos
    Prova disso, adianta o deputado, são os consecutivos recordes de carga fiscal.
Início Anterior Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas