Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Passividade e inoperância do governo não pode continuar a condenar o interior ao abandono
Um ano após a tragédia dos incêndios de outubro, Fátima Ramos frisou que urge a construção de um país diferente, mais competitivo e menos assimétrico.
“Segunda-feira fez um ano sobre a tragédia dos incêndios que assolaram o Centro do País. A gravidade dos acontecimentos, o falhanço e a inoperância demonstrada pelo Governo jamais poderão ser esquecidos. Poucos serão os exercícios de memória mais penosos e tristes. As lágrimas, os gritos, por vezes até o silêncio, evidenciavam o desespero. Num instante desapareceram famílias, amigos, memórias, casas, recordações de gerações”. Foi com estas palavras que Fátima Ramos a declaração política, esta quarta-feira, em nome do PSD.
Para a deputada, “Portugal é hoje um país centralista, muito envelhecido, com baixíssimas taxas de natalidade. Lisboa cresce e o resto do país empobrece.” Sublinhando que o Estado falhou, a parlamentar lamentou que hoje, como há um ano, “o governo e a maioria que o suporta continua a acreditar que a troca de ministros, tudo irá desculpabilizar. Quase 100 pessoas morreram. Abandonadas pelo Estado. Condenadas à sua autoproteção e a um inaceitável salve-se quem puder. Floresta, casas, fábricas e empregos desapareceram no inferno dantesco a que fomos condenados”.
De seguida, a parlamentar recordou a descoordenação, o sofrimento e a dor que se sentiu naqueles dias. Recorda a deputada que “dois meses antes do verão, o governo, de forma inconsciente e irresponsável, tinha revolucionado a estrutura nacional da proteção civil, dando prioridade aos boys. Dispensaram meios aéreos, de vigia e de combate, agravando o cenário provocado pelas condições climatéricas. Falharam. Até hoje, nada de estrutural se modificou. No caso da prevenção, no ordenamento do território e na definição de uma eficaz política florestal, o governo comporta-se de forma irracional, não percebendo as dificuldades dos pequenos e médios proprietários, perseguindo a propriedade privada. Esquecem-se que as poucas pessoas que restam nestes territórios, são maioritariamente pobres e idosas, sem recursos para as limpezas. Gente que, depois da tragédia, continuou meses a fio sem comunicações devido à fraqueza do estado face aos grandes grupos económicos. Persistem fábricas e inúmeras casas por recuperar”.
Lamentando que o Primeiro-ministro continue a permitir que haja portugueses abandonados à sua própria sorte, Fátima Ramos recordou que “a cegueira ideológica e estatizante desta maioria de esquerda, faz o governo viver longe das Organizações não governamentais sem fins lucrativos onde milhares de portugueses se mobilizaram para recuperar Portugal”.
Um ano depois, a social-democrata considera que exige-se uma nova realidade que todos envolva. “A sociedade precisa de proteção e de menos obstáculos. Urge a construção de um país diferente, mais competitivo e menos assimétrico.
Neste desafio as Instituições não lucrativas devem ser acarinhadas. Podem ser bons parceiros na descentralização e apoios de proximidade. Do Estado, quer-se o exemplo. Pela passividade e inoperância do governo, não pode o interior continuar condenado ao abandono. Que se comece já, sem hesitações e com coragem, dando o exemplo da transferência do Tribunal Constitucional, para Coimbra. Que se ponderem e estudem outras transferências e que se atraia investimento produtivo. Portugal impõe uma alternativa séria e credível, reformista em vez de trapezista, capaz de o mobilizar e apoiar na exigência de vencer. A memória do sofrimento e o exemplo de superação do nosso povo, não permitem que se continue a falhar”.
A terminar, Fátima Ramos apelou a que o governo dê uma resposta mais pronta às populações da Região centro que este fim-de-semana foram afetadas pelo Furacão Leslie.

17-10-2018 Partilhar Recomendar
13-05-2019
Cativações e cortes no investimento. “Chama a isto boa gestão das contas públicas?”
    Fernando Negrão acusou António Costa de fazer um “brilharete nas contas” à custa de corte no investimento.
10-05-2019
Bancadas do PS, BE e PCP “são a lavandaria política do governo socialista”
    No debate sobre o Fundo de Solidariedade Europeu, Rubina Berardo acusou as bancadas da esquerda de branquearem a atuação do governo.
10-05-2019
Gestão do Fundo de Solidariedade tem sido incompetente, imoral e uma vergonha
    Duarte Marques considera “indigno” que o governo queira ficar com o dinheiro destinado aos municípios afetados pelos incêndios.
10-05-2019
Incêndios: “o governo aproveita-se da desgraça alheia para financiar serviços públicos”
    António Lima Costa afirma que o governo desviou verbas europeias destinadas às zonas afetadas para financiar organismos da administração central sediados em Lisboa.
08-05-2019
PSD defende a construção de uma ligação rodoviária em perfil de autoestrada entre Viseu e Coimbra
    Pedro Alves frisou que esta é a maior e mais urgente prioridade nacional em investimento rodoviário.
17-04-2019
Deputados do PSD questionam o governo sobre as condições no Hospital de Cantanhede
    Os parlamentares reclamam “melhores condições e meios” para o Hospital Arcebispo João Crisóstomo.
04-04-2019
“O Governo não consegue nomear pessoas qualificadas sem serem familiares?”
    Fernando Negrão entende que o “Governo está a funcionar em circuito fechado”.
03-04-2019
Governo só veio criar confusão e propaganda no combate aos incêndios
    Duarte Marques alertou que todas as autoridades estão desiludidas com as alterações promovidas pelo executivo.
03-04-2019
Incêndios: Estado tem de dar o exemplo e limpar os terrenos
    Emília Cerqueira destacou ainda o trabalho das forças e serviços de segurança.
21-02-2019
Incêndios: Relatório do Observatório Técnico Independente “coloca a nu a falta de estratégia do governo para uma verdadeira política florestal”
    Luís Pedro Pimentel enumerou vários dos erros cometidos pelo executivo.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas