Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
“Só fala constantemente do passado quem tem medo do presente e de assumir as responsabilidades”
Simão Ribeiro desafiou os partidos da esquerda a assumirem as suas responsabilidades pelos problemas nos serviços públicos.
“Só fala constantemente do passado quem tem medo do presente e de assumir as responsabilidades da sua ação do dia-a-dia”. Foi com estas palavras que Cristóvão Simão Ribeiro iniciou a sua intervenção, esta sexta-feira, no debate agendado pelo PSD sobre “a qualidade da resposta dos serviços públicos”.
De seguida, o deputado repudiou a acusação dos bloquistas de que este debate foi uma “mixórdia de temáticas”. Para o deputado, chamar “mixórdia de temáticas” a um conjunto de situações gravíssimas que Portugal enfrenta “devia ser, no mínimo, motivo de decoro. Chamar à degradação dos serviços públicos mixórdia de temáticas, é chamar «mixordeiros» aos portugueses e isso não lhe posso consentir. Mixórdia, se quiser, é a situação governativa por vocês encontrada, que mistura leninistas, comunistas, estalinistas, socialistas e uns quantos mais especialistas em vender contos de fadas aos portugueses”.
Lembrando que estamos a entrar da quarta sessão legislativa, o social-democrata confrontou, de seguida, os partidos da esquerda com notícias que falam em cativações, atrasos no pagamento das pensões, serviços públicos na penúria, caos no sector dos transportes e problemas na saúde.
A propósito dos problemas na saúde, Simão Ribeiro fez um diagnóstico à saúde do Governo e à forma como o Governo tem tratado da saúde dos portugueses. “E quais são os sintomas à vista de todos? Aumento do número de queixas dos doentes, demissões de responsáveis hospitalares, greves recorrentes de enfermeiros, médicos e outros profissionais do serviço nacional de saúde, estagnação da reforma dos cuidados de saúde primários, crescimento das redes de cuidados paliativos irrisório, estagnação da reforma dos cuidados de saúde primários, quota de mercado dos medicamentos genéricos congelada, dívida total do SNS a subir, aumento do tempo de espera em consultas de 115 para 121 dias, aumento do número de utentes em espera para cirurgia em 14 mil, hospitais sem dinheiro para pagar as horas extras”.
Para Simão Ribeiro, mais do que os números e o estado do SNS, o que está em causa é a saúde dos portugueses e a falta de decoro da esquerda ao não assumir as suas responsabilidades.

04-10-2018 Partilhar Recomendar
28-09-2018
O Hospital da Madeira não pode ser arma de arremesso político
    Sara Madruga da Costa lamenta que o governo tenha demorado três anos a tomar uma decisão sobre uma infraestrutura que é fundamental para os madeirenses.
26-09-2018
Os portugueses não podem confiar na palavra do Primeiro-Ministro
    A propósito do Infarmed, Fernando Negrão lembrou a António Costa que “quem não tem palavra não tem credibilidade”.
20-09-2018
Saúde: “a realidade contraria a propaganda do governo”
    Ricardo Baptista Leite considerou “antissocial e totalmente incompreensível” a decisão do governo de excluir todos os doentes com necessidades paliativas da Rede Nacional de Cuidados Continuados.
19-09-2018
Fátima Ramos participa nas cerimónias do 39º aniversário do Serviço Nacional de Saúde
    A deputada destacou a importância destas iniciativas num momento em que o SNS vive várias dificuldades.
13-07-2018
“A geringonça está a mutilar o Serviço Nacional de Saúde”
    Adão Silva considera que a atual governação originou um “SNS mutilado, claudicante e sem servir às pessoas”.
12-07-2018
Governo volta a falhar no Hospital de Santarém
    Os deputados eleitos pela Região constataram essa realidade após reunirem com a Administração do Hospital Distrital de Santarém.
05-07-2018
“O INFARMED não se vai deslocalizar para a cidade do Porto”
    A conclusão foi retirada por Ricardo Baptista Leite após ouvir o Ministro da Saúde.
05-07-2018
“Hospital da Madeira continua a não ser uma prioridade para este Governo”
    Sara Madruga da Costa desafiou o executivo a cumprir com a sua palavra e honrar os compromissos que assumiu com os madeirenses.
05-07-2018
Cristóvão Norte apela ao Ministro da Saúde que eleja o Algarve como prioridade
    O deputado lamentou que o Algarve tenha ficado de fora das prioridades do governo para a construção de novos hospitais.
05-07-2018
Fátima Ramos considera que a construção da nova maternidade é crucial para Coimbra
    A deputada lamentou que os anúncios ainda não se tenham concretizado.
Início Anterior Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas