Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
“O retrato dos serviços públicos é o retrato do caos”
Pedro do Ó Ramos afirmou que o governo das esquerdas é o “campeão do desinvestimento público e consequente degradação dos serviços”.
O Grupo Parlamentar do PSD levou a debate, esta quinta-feira, “a qualidade da resposta dos serviços públicos”. Pedro do Ó Ramos, que abriu o debate, começou por referir que a semana que decorre ilustra bem o que vimos hoje aqui denunciar: diminuição clara da qualidade dos serviços públicos. “No dia 1 de outubro, 2ª feira, iniciou-se uma greve dos trabalhadores das bilheteiras e revisores da CP. Consequência: encerramento de 85% dos locais de venda de bilhetes e afetação da circulação ferroviária, com alterações do percurso dos utentes. Igualmente no dia 1 de outubro, teve início uma nova greve de professores. Consequência: milhares de alunos sem aulas”.
De acordo com o social-democrata, este é o estado dos serviços públicos em Portugal. “É o retrato da sua degradação, sendo enorme a indignação e desmotivação dos funcionários, que veem de dia para dia o colapso dos serviços. Essa degradação é visível e sentida pelos cidadãos nas mais diversas áreas”.
De seguida, o parlamentar percorreu algumas das áreas em que essa degradação é visível. No que respeita à saúde, o deputado lembra que entre meados de 2015 e final de 2017 o número de doentes em lista de espera para cirurgia aumentou mais de 30 mil. “O tempo médio de espera para a realização de uma primeira consulta de especialidade hospitalar passou de 115 dias para 121 dias. A par desta degradação para o utente, o SNS viu a sua dívida aumentar 40% entre dezembro de 2015 e março de 2018. Também os pagamentos em atraso dos hospitais EPE do SNS, registaram uma enorme subida nos últimos dois anos e meio, tendo passado de 451 milhões de euros, em dezembro de 2015, para 705 milhões de euros, em março de 2018”.
No que respeita à área dos transportes, recorda, as reclamações nos transportes públicos aumentaram 38,9% em 2017 e o Programa Ferrovia 2020, apresentado há 2 anos, tem apenas cerca de 15% das obras em marcha.
Na educação, lembra Pedro do Ó, em 2018 estima-se que 80% das escolas tenham carência de funcionários. “A falta de vagas, sobretudo em jardins-de-infância e escolas do 1.º ciclo da rede pública, levou, em 2018, a um aumento exponencial de reclamações, não estando garantida a universalidade do acesso para as crianças de 4 e 5 anos. E, quantos de nós aqui presenciámos à ansiedade de alunos e famílias, no final do ano letivo passado, devido à greve dos professores ao lançamento das notas finais?”
Depois de abordar áreas como a segurança interna, a justiça, a
execução dos fundos comunitários e a economia do mar, sentenciou que a “degradação dos serviços públicos é visível e sentida diariamente pelos cidadãos.
É o próprio Estado que perde dignidade. Deixa, aos olhos dos cidadãos, de ser confiável, de ser justo e de ser prestável”.
Tudo isto, refere o parlamentar, tem origem na “obsessão” do Primeiro-Ministro e Ministério das Finanças em travar e adiar soluções, mas também na clara diminuição do investimento público. “Entre 2015 e 2017 o decréscimo total do Investimento Público foi de 11%, assumindo valores na ordem dos 30% em áreas como a saúde, a segurança interna ou os transportes. Onde está a aposta no investimento público, que António Costa defendia e escrevia na sua moção às primárias do PS em 2014”, questionou.
A terminar, Pedro do Ó Ramos frisou que em três anos de funções “o governo socialista, apoiado pelo Bloco de Esquerda e pelo PCP, pode gabar-se de uma coisa: campeão do desinvestimento público e consequente degradação dos serviços públicos, que desespera e revolta milhões de portugueses. Em três anos de governação socialista, apoiada por bloquista e comunistas, o retrato dos serviços públicos é o retrato do caos. O caos nos transportes públicos, o caos no acesso à saúde, na educação, nas próprias funções de soberania”.

04-10-2018 Partilhar Recomendar
23-06-2010
Sociais-democratas questionam Ministro das Finanças
    O Ministro esteve na Comissão de Trabalho, Segurança Social e Administração Pública e foi questionado sobre as leis laborais, as regras de mobilidade na administração pública, o PRACE, as remunerações certas e permanentes e a execução orçamental.
08-04-2010
“A reforma da administração pública foi um fracasso rotundo”
    Adão Silva criticou o trabalho feito pelo Governo nesta matéria e reafirmou a necessidade de proceder-se a uma reforma séria e adequada
09-02-2010
Reinstalação de serviços públicos na Figueira da Foz levanta dúvidas
    Rosário Águas exige esclarecimentos sobre a concentração dos serviços num único espaço sujeito a arrendamento, quando as duas repartições existentes são propriedade do Estado
Início Anterior
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas