Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
O governo tem sacrificado o investimento público para cumprir as metas do déficit
Virgílio Macedo enfatizou que todos os partidos que apoiam parlamentarmente este governo são cúmplices deste desinvestimento.
“Podíamos chamar a este debate, o debate da má consciência. O debate da má consciência do PS e do Governo em relação ao investimento público. Quando no final de 2015, esta maioria e este governo, se apresentaram aos portugueses, apresentaram-se como os arautos do investimento público. O investimento público iria ser um fator chave e determinante, para o crescimento económico. Hoje passados três anos de governação todos podemos comprovar que essa retórica, era mesmo apenas isso: só retórica. A prática deste Governo tem sido todo o seu contrário”. Foram estas as palavras iniciais de Virgílio Macedo no debate sobre o “Plano Nacional de Investimento”.
De seguida, o social-democrata confrontou o Ministro do Planeamento e das Infraestruturas com os números que, contrariamente à retórica do governo, não enganam: “em 2016 o investimento público atingiu um mínimo histórico. Nesse ano, o investimento público foi apenas de 1,5% do PIB, batendo mínimos históricos não apenas em Portugal, mas em toda a União Europeia. Um verdadeiro recorde negro. Em 2017, e ao contrário da propaganda política, e ao contrário do prometido e plasmado no orçamento de estado, o investimento público voltou a cair: mais de 8,5%. O valor de investimento executado, ficou abaixo do valor orçamentado, em mais de 850 milhões de euros. É inaceitável que a execução orçamental em 2017 do investimento público, em áreas tão importantes como a educação ou a saúde, tenha ficado abaixo de 50% do orçamentado. Na saúde, só em 2017, ficaram por executar cerca de 120 ME de investimento”. Como se isso não fosse já suficientemente grave, adianta o deputado, em simultâneo o governo implementava aos portugueses a carga fiscal mais elevada de sempre 34,7% do PIB.
Face a estes dados, Virgílio Macedo considera “que o governo tem utilizado o investimento público, como a variável, que sacrifica, para poder cumprir as metas do déficit público. Pobre e perigosa visão ideológica de curto prazo deste Governo, que aposta em aumentar despesas correntes, tendo por contrapartida o aumento de impostos, e o sacrifício do investimento. E nunca é demais lembrar que, todos os partidos que apoiam parlamentarmente este Governo são cúmplices deste sacrifício do investimento público. Todos apoiam, todos aprovam.”
A terminar, o parlamentar desafiou o governo a assumir, de uma vez por todas, que é sua opção política não executar investimento para cumprir as metas orçamentais. “Assumam isso, sejam verdadeiros, perante os portugueses. Assumam que não quiseram, ou não foram capazes de fazer conviver duas realidades: Investimento público e cumprimento das metas de deficit público. Assumam que como consequência desta vossa visão, os portugueses estão a ter menos serviços públicos e de menor qualidade. Assumam o abandono da manutenção das nossas infraestruturas, e em que cada dia que passa, as obras são mais prementes”.

19-09-2018 Partilhar Recomendar
12-12-2018
Modelo de governação do Ministro do Planeamento e das Infraestruturas resume-se a dois princípios: cativar e prometer
    Paulo Rios de Oliveira ironizou que quando esses princípios falham a resposta é sempre a mesma: “a culpa é do PSD”.
12-12-2018
Pedro Marques é o “ministro da propaganda eleiçoeira”
    Luís Leite Ramos acusou o governante de ser a “voz-off do mega spot eleitoral de um governo faz de conta”.
12-12-2018
Cativações: Infraestruturas de Portugal executou apenas cerca de 50% dos investimentos previstos
    António Topa afirmou que os relatórios confirmam que com este governo o investimento registou uma descida de 22%.
12-12-2018
Infraestruturas Públicas encontram-se em total degradação
    Joel Sá sublinhou que “este é um governo de muita propaganda e pouca obra”.
30-10-2018
Há um ano que existe queda da atividade económica
    No entender de Paulo Rios de Oliveira, são necessárias reformas que melhorem a competitividade das empresas e a estabilidade fiscal.
18-10-2018
Plataformas eletrónicas: PSD contribuiu para a regulamentação do setor
    Paulo Rios de Oliveira assegurou que os sociais-democratas querem dar condições aos taxistas para que estes possam concorrer de igual para igual com as plataformas eletrónicas.
18-10-2018
Carlos Silva alerta para o retrocesso na mobilidade dos cidadãos da margem sul com o fim da concessão da Fertagus
    O deputado reafirmou a rejeição do PSD a uma proposta “cega, partidária e sindicalista” dos comunistas.
10-10-2018
Tancos: “senhor Primeiro-Ministro, não acha que já fomos longe demais?”
    Fernando Negrão considera que este caso exigia intervenção imediata da hierarquia militar e da tutela política.
28-09-2018
Atividade seguradora e resseguradora: “vender gato por lebre passará a ser mais difícil”
    Carlos Silva declarou o apoio do PSD à implementação da diretiva europeia, mas lamentou a demora do executivo na transposição.
28-09-2018
PSD contesta a forma como o governo tratou o processo de alteração ao Código da Propriedade Industrial
    Paulo Rios de Oliveira referiu que esta alteração tem um enorme impacto económico e social e que, por isso, não pode ser feita “às três pancadas”.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas