Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
PCP e BE estão numa “disputa fratricida” pelo título de campeão do proletariado
Pedro Roque recordou a estes partidos que “a economia é demasiado importante para experimentalismos ou voluntarismos”.
Pedro Roque considera que as iniciativas de PCP, BE e PEV sobre a redução do horário das 40 para as 35 horas não é mais que “um posicionamento tático “intra-geringonça” à medida em que a ampulheta eleitoral vai escoando os seus grãos de areia”.
De acordo com o deputado, “o primeiro teatro de operações é dentro da esquerda mais extremada em que, comunistas e bloquistas, se digladiam sobre a primazia da proposta, na disputa fratricida pelo porte do facho da revolução e o título de campeão do proletariado. O segundo, é na minagem do campo eleitoral do PS por forma a recola-lo como “compagnon de route” da tenebrosa direita mesmo que a sua sobrevivência governativa tenha sido gerada em simbiose parlamentar.”
De seguida, o social-democrata centrou-se na iniciativa do PCP que refere que «a redução do horário de trabalho para as 35 horas colocaria a necessidade de mais 440 mil trabalhadores para cumprir as mesmas horas de trabalho». Refere Pedro Roque que isto é afirmado pelo mesmo partido que quer revigorar a contratação coletiva, mas que, numa matéria essencial, quer impor sem ter em conta a necessária conciliação bipartida de interesses. “Ora, o único país da OCDE a implementar medida semelhante foi a França de Lionel Jospin em 2000. Sendo conhecida esta experiência, importa refletir sobre o seu balanço. A passagem para as 35 horas contribuiu para a perda de competitividade da economia ou, numa leitura benévola, coincidiu com o declínio das exportações gaulesas na década de 2000. A taxa de cobertura das importações pelas exportações em França caiu de 105% em 1997 (superavit) para 85 % em 2009 (um deficit) – exatamente o fenómeno que Portugal já corrigiu com o esforço de todos”.
A terminar, Pedro Roque sublinhou que “a economia é demasiado importante para experimentalismos ou voluntarismos mais ou menos bem-intencionados”.

18-05-2018 Partilhar Recomendar
17-04-2019
PSD desafia todos os partidos para resolver o problema da Segurança Social
    Fernando Negrão frisou que a resolução deste problema não pode continuar a ser adiada.
05-04-2019
Governo não respeita o compromisso de diálogo e negociação coletiva assinado com os sindicatos
    Carla Barros considera que a “palavra dada” continua sem ser honrada.
15-03-2019
Esquerda governa para os eleitores e não para os portugueses
    Joana Barata Lopes lamentou que estes partidos governem sem pensar no futuro.
15-03-2019
Clara Marques Mendes coloca em evidência a hipocrisia do PCP
    A deputada lembra que os comunistas, apesar de verem as suas propostas chumbadas pelo PS, continuam a viabilizar os Orçamentos.
15-03-2019
Álvaro Batista: “com o governo das esquerdas 1 em cada 4 trabalhadores são precários”
    O social-democrata referiu-se à consciência pesada das esquerdas que prometeram reduzir a precariedade laboral e fizeram precisamente o contrário.
08-03-2019
PSD defende a criação de um Estatuto do Cuidador Informal
    A iniciativa dos sociais-democratas foi apresentada pela deputada Helga Correia.
08-03-2019
Cuidadores Informais querem respostas, não falsas ilusões
    Mercês Borges considera que falta vontade ao governo para dar resposta a este problema.
07-03-2019
Novo Banco: “queremos conhecer tudo em nome do interesse dos portugueses”
    Adão Silva exigiu explicações a António Costa sobre a “trapalhada” que se revelou a solução encontrada para o Novo Banco.
21-02-2019
Rui Cruz: “aquilo que foi dado aos portugueses, foi-lhes tirado por mais impostos, taxas, preços e tarifas”
    O deputado considera que “precisamos de um governo que seja capaz de induzir um crescimento económico robusto e continuado”.
21-02-2019
“Com o governo das esquerdas os trabalhadores precários aumentaram de forma explosiva”
    Álvaro Batista acusou a governação das esquerdas de ter falhado o objetivo de reduzir a precariedade.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas