Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
PCP e BE estão numa “disputa fratricida” pelo título de campeão do proletariado
Pedro Roque recordou a estes partidos que “a economia é demasiado importante para experimentalismos ou voluntarismos”.
Pedro Roque considera que as iniciativas de PCP, BE e PEV sobre a redução do horário das 40 para as 35 horas não é mais que “um posicionamento tático “intra-geringonça” à medida em que a ampulheta eleitoral vai escoando os seus grãos de areia”.
De acordo com o deputado, “o primeiro teatro de operações é dentro da esquerda mais extremada em que, comunistas e bloquistas, se digladiam sobre a primazia da proposta, na disputa fratricida pelo porte do facho da revolução e o título de campeão do proletariado. O segundo, é na minagem do campo eleitoral do PS por forma a recola-lo como “compagnon de route” da tenebrosa direita mesmo que a sua sobrevivência governativa tenha sido gerada em simbiose parlamentar.”
De seguida, o social-democrata centrou-se na iniciativa do PCP que refere que «a redução do horário de trabalho para as 35 horas colocaria a necessidade de mais 440 mil trabalhadores para cumprir as mesmas horas de trabalho». Refere Pedro Roque que isto é afirmado pelo mesmo partido que quer revigorar a contratação coletiva, mas que, numa matéria essencial, quer impor sem ter em conta a necessária conciliação bipartida de interesses. “Ora, o único país da OCDE a implementar medida semelhante foi a França de Lionel Jospin em 2000. Sendo conhecida esta experiência, importa refletir sobre o seu balanço. A passagem para as 35 horas contribuiu para a perda de competitividade da economia ou, numa leitura benévola, coincidiu com o declínio das exportações gaulesas na década de 2000. A taxa de cobertura das importações pelas exportações em França caiu de 105% em 1997 (superavit) para 85 % em 2009 (um deficit) – exatamente o fenómeno que Portugal já corrigiu com o esforço de todos”.
A terminar, Pedro Roque sublinhou que “a economia é demasiado importante para experimentalismos ou voluntarismos mais ou menos bem-intencionados”.

18-05-2018 Partilhar Recomendar
19-07-2019
A legislação laboral em vigor tem permitido um aumento do emprego e uma diminuição do desemprego
    Susana Lamas frisou que este não era o momento para alterar a Lei.
19-07-2019
“A legislação laborar em vigor tem manifestado sinais positivos”
    Clara Marques Mendes afirmou eu o PSD sempre disse que este não seria o momento para fazer alteações ao código do trabalho.
05-07-2019
Parlamento fez história com o reconhecimento do Estatuto do Cuidador Informal
    Helga Correia enfatizou que se inicia um caminho “para dar dignidade e valor a quem cuida de forma voluntária, benévola e com amor”.
05-07-2019
Cristóvão Crespo preocupado com os atrasos na atribuição de pensões
    O deputado alertou o Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social sobre os fortes constrangimentos à vida destes cidadãos.
02-07-2019
“Este governo é o campeão da destruição dos serviços públicos”
    Clara Marques Mendes afirmou que “o Governo fala dos pobres, mas desfavorece-os; prega a solidariedade, mas não a pratica”.
26-06-2019
Segurança Social necessita de uma reforma estrutural profunda para garantir a sua sustentabilidade futura
    Feliciano Barreiras Duarte referiu que esta é uma reforma que o PSD tem vindo a defender, a pensar no futuro.
26-06-2019
Governo “declarou-se incompetente” para resolver o problema do atraso no processamento das pensões
    De acordo com Sandra Pereira, o executivo reconheceu que este problema agravou-se nos últimos 4 anos e que não tem capacidade de o resolver.
26-06-2019
PS devia ter “pudor e vergonha” de falar em cortes nas pensões
    Joana Barata Lopes lembrou que foram os socialistas que negociaram e comprometeram o país aos cortes previstos no memorando de entendimento com a troika.
26-06-2019
Clara Marques Mendes: “governo andou 4 anos a governar à vista”
    A deputada recordou que os sociais-democratas foram alertando para a falta de prudência e de sensatez com que estavam a ser adotadas determinadas políticas.
31-05-2019
Joana Barata Lopes: Ministro Vieira da Silva esteve “no pântano de Guterres e na bancarrota de Sócrates”
    A deputada considera que o socialista não se preocupa com o futuro e apenas está interessado em agradar aos eleitores.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas