Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
“Governo insiste em teleguiar, a partir da capital, a gestão estratégica e operacional dos fundos comunitários”
Luís Leite Ramos criticou a postura centralista do executivo.
“O PSD trouxe a esta câmara este debate por uma razão muito simples: o governo do PS, PCP e BE apresentou às Comissões de Coordenação e aos gestores dos Programas Operacionais um conjunto de orientações em que ditava, não negociava, exaltamento aquilo que o PSD denunciou e o que 83 autarcas do Região Norte denunciaram”. Foi com estas palavras que Luís Leite Ramos iniciou a sua intervenção, esta sexta-feira, no encerramento do debate, agendado pelo PSD, sobre a reprogramação do Portugal 2020.
Na sua intervenção, o social-democrata destacou a suprema ironia que acompanha todo este processo: “o mesmo governo que prometeu um ambicioso Plano de Descentralização e que quer pôr os presidentes das CCDR a mandar nos fundos comunitários, insiste em teleguiar, a partir da capital, a gestão estratégica e operacional dos fundos comunitários.”
A este propósito, adianta o deputado, este é o mesmo “centralismo e o iluminismo” que marcou no passado a governação socialista em matéria de fundos comunitários, e que ficou bem patente no Programa POLIS e na Parque Escolar. “Foram Programas feitos exatamente da mesma maneira: a partir da capital governaram, implementaram, decidiram, executaram, nas costas do país e dos autarcas”.
De seguida, Leite Ramos admitiu que o PSD sabe qual é, na verdade, a verdadeira intenção do governo: “o que está na origem desta reprogramação é tapar o buraco que existe no Programa Operacional do Capital Humano, feito com o desvio de verbas para despesas correntes na educação e na segurança social, e pagar uma promessa em Lisboa e no Porto relativamente ao metropolitano”.
Para o social-democrata, a postura do governo devia de ser a de compreender qual a melhor forma de reaplicar as verbas disponíveis, com transparência, critérios objetivos e respeito pelas regras europeias e pela coesão territorial. “Se assim fosse, o governo não tentaria desviar verbas dos programas regionais para pagar despesas correntes dos seus ministérios. O governo não faria este verdadeiro assalto ao programa temático da sustentabilidade para pagar as obras dos transportes nas áreas metropolitanas do Porto e Lisboa. Com base em que critérios foram definidas estas prioridades? Que mais alternativas foram avaliadas? Porque é que estes investimentos nos transportes do Porto e Lisboa são mais importantes e mais justos do que os investimentos na mobilidade de cidades como Bragança, Vila Real, Viana do Castelo, Aveiro, Guarda, Viseu, Coimbra, Leiria, Santarém, Setúbal, Évora, Portalegre, Beja ou Faro? É esta coesão, esta justiça e transparência que estamos a discutir”.
A terminar, Luís Leite Ramos frisou que com este debate o PSD “traçou uma linha vermelha na reprogramação do Portugal 2020 que o governo pretende fazer: impedir o desvio de verbas para outros programas e o desvio de verbas de programas temáticos sem critérios, sem transparência e sem avaliação de alternativas. Está nas vossas mãos impedir o governo de ultrapassar esta linha vermelha”, rematou.

20-04-2018 Partilhar Recomendar
10-12-2019
“O Planeta dispensa socialismo mascarado de Zorro Verde ou de Super-Homem Ecológico”
    Isabel Meirelles confrontou o Primeiro-ministro com “a contradição clamorosa” entre a propaganda socialista e a pior posição de sempre do nosso país no Índice de Desempenho das Alterações Climáticas.
14-11-2019
Grupo Parlamentar do PSD elegeu Coordenadores e Vice-coordenadores
   
10-05-2019
Fundo de Solidariedade Europeu: atitude do Governo foi “vergonhosa, egoísta e imoral”
    António Costa Silva revelou que “mais de metade do montante do Fundo de Solidariedade foi aplicado em despesas que deviam ser assumidas pelo Orçamento do Estado”.
05-04-2019
Fundos Comunitários: Portugal regista uma “execução desastrosa”
    António Costa Silva contraria a propaganda do governo e fala numa execução de apenas 33%.
15-03-2019
Planeamento: mudou o Ministro, mas mantêm-se os anúncios, propaganda e meias-verdades
    Luís Leite Ramos considerou ainda que nenhum governo foi “tão centralista como este”.
15-03-2019
Governo está a falhar na execução dos fundos comunitários e a prejudicar Portugal
    António Costa e Silva criticou a baixíssima taxa de execução do executivo.
22-02-2019
O governo falhou o objetivo de evitar perdas de fundos comunitários
    António Costa da Silva lamenta a incapacidade do executivo em garantir esta importante prioridade.
22-02-2019
PSD exige ao governo que coloque a agricultura, a floresta, o Interior e o Mundo Rural no topo das suas preocupações
    A exigência foi deixada por António Lima Costa no Plenário.
22-02-2019
Fundos de Coesão: Portugal viu a sua verba diminuída em 7%
    Duarte Marques considera que a negociação feita pelo Ministro Pedro Marques “foi péssima”.
22-02-2019
Fundos Comunitários: ausência de capacidade negocial do governo está patente na diminuição do pacote financeiro para Portugal
    Emília Cerqueira lamenta que o governo se tenha conformado com o que os parceiros europeus lhe iam impondo.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas