Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
O PS não tem um propósito para o país e deixou-se levar pela esquerda-radical
Carlos Barros considera que temos “um governo tóxico para o país”.
No debate sobre as reformas antecipadas e as longas carreiras contributivas, Carla Barros questionou a bancada socialista sobre a encenação protagonizada pelos bloquistas. “Que encenação é esta em que temos um partido que apoia esta solução de governo a pedir explicações ao PS? O que é que está a acontecer neste Parlamento hoje, para que o BE, que subscreve juntamente com o PS os compromissos aos portugueses, esteja aqui a apresentar uma série de falhas e a apresentar um cartão vermelho ao PS?”
Segundo a deputada, os bloquistas pretendem aparecer com uma espécie de “alma limpa”, como se não tivessem nada a ver com aquilo que está a acontecer hoje. Contudo, vinca a deputada, o compromisso foi feito de forma conjunta, portanto “quando mentem aos portugueses, mentem de forma conjunta”.
De seguida, Carla Barros destacou que o tema das reformas antecipadas e longas carreiras contributivas é de especial interesse e de extrema importância para o Grupo Parlamentar do PSD. “Estamos a falar de um assunto que tem impacto direto e imediato na vida dos trabalhadores e no dia-a-dia das suas famílias. Reconhecemos que o sistema tem imperfeições que precisam de ser reparadas. Reconhecemos que há uma enorme necessidade de se fazer um debate sério, mas não ao abrigo deste oportunismo político e mediático feito pelo BE”.
No entendimento da deputada, os pensionistas estão à espera de uma resposta de todos os partidos que alimentam esta solução governativa. “Mas nós já não temos ilusões e tenho a certeza que os portugueses também já não. Já passaram quase 3 anos de governo e o que encontramos é um PS sem propósito para o país, sem coragem, que se deixou levar pela esquerda-radical”.
Depois de recordar vários exemplos semelhantes a este, como o caso dos precários que até hoje estão sem resposta, Carla Barros criticou esta forma de fazer política e sublinhou que passado quase 3 anos temos “um governo tóxico para o país”.

11-04-2018 Partilhar Recomendar
11-04-2018
Governo e os partidos de esquerda estão em estado de gestão de eleições e de eleitorado
    Clara Marques Mendes apelou ao executivo e aos partidos que o suportam para que coloquem os interesses dos portugueses à frente dos seus interesses eleitorais.
11-04-2018
“Bloco não tem a mínima preocupação com a sustentabilidade da Segurança Social nem com os futuros pensionistas”
    Mercês Borges condenou a postura do “tudo para alguns já, para os outros logo se verá”.
11-04-2018
Susana Lamas acusa o BE de “encenação e populismo”
    Na base da acusação estão os “exercícios de equilibrismo” dos bloquistas em torno do regime de reformas antecipadas.
14-03-2018
Legislação Laboral: as leis em vigor são boas
    Adão Silva questionou se ainda vamos ver o PCP na rua a gritar: “a luta continua, governo para a rua”.
14-03-2018
Legislação Laboral: Pedro Roque apela ao sentido de responsabilidade do PS
    O social-democrata alertou para os riscos de uma cedência dos socialistas à agenda da esquerda-radical.
14-03-2018
Susana Lamas: PCP insiste em reverter reformas e em permanecer no passado
    A deputada considera que os comunistas pretendem a retoma de legislação laboral que está obsoleta.
14-03-2018
“Governo não está a saber aproveitar a conjuntura favorável para preparar o futuro”
    Mercês Borges lamentou a apatia de um executivo que, além de não dar resposta às necessidades das empresas, deixa pairar a ameaça de uma revisão das leis laborais.
14-03-2018
Sandra Pereira: “o PCP cristalizou-se e parou no tempo”
    A deputada referiu-se à “inquietação” de um partido que defende uma coisa na rua e depois vota ao lado do governo.
07-03-2018
“Temos hoje a precariedade mais elevada dos últimos 15 anos”
    Carla Barros considera que o processo de regularização dos precários na administração pública revela que a esquerda está mais preocupada em proteger o governo que os trabalhadores.
07-03-2018
“É imperioso resolver rapidamente os processos de integração dos verdadeiros precários”
    Álvaro Batista condenou que o problema da precariedade seja usado como agência de emprego para “jovens socialistas”.
Início Anterior Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas