Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Susana Lamas: PCP insiste em reverter reformas e em permanecer no passado
A deputada considera que os comunistas pretendem a retoma de legislação laboral que está obsoleta.
Susana Lamas acusa o PCP de continuar com o mesmo discurso de há décadas, defendendo a retoma de legislação que está obsoleta e ignorando que o mundo mudou e que o paradigma do mercado laboral já não é o mesmo. Num debate sobre Legislação Laboral, em que os comunistas pretendiam reverter a legislação em vigor, a deputada considerou que o que o Parlamento devia estar a fazer era “preparar o futuro do mundo laboral, da nova realidade do trabalho, dos novos desafios que se avizinham. Mas não é isso que está aqui a acontecer, não é isso que a Esquerda nos propõe. O Partido Comunista insiste em reverter reformas, insiste em permanecer no passado”. Perante esta intenção, a deputada declara que importa saber o que é que o PS vai fazer. “É preciso saber o que pretende afinal o PS. Por um lado, o Ministro Vieira da Silva já veio dizer que rejeita alterações profundas à lei laboral. Mas por outro lado, também já deu aval a alterações da legislação, propostas pelos vossos parceiros de coligação, sem ouvir e em total desrespeito pela concertação social. E agora, vão ceder à pressão da esquerda e da CGTP, que insistem na revogação das leis laborais? Que preferem a luta na rua ao diálogo e ao compromisso na concertação social? O PS vai arriscar a criação de um ambiente crispado, com menos consenso social e, portanto, menos propício ao desenvolvimento da atividade económica? Senhores deputados do PS, os maiores problemas são a incerteza e a falta de clareza que os empregadores e os trabalhadores enfrentam. E, portanto, estes querem saber o que de facto vai mudar na legislação laboral”.
No que respeita à posição do PSD, a parlamentar frisou que para os sociais-democratas “o caminho a seguir é o da continuidade, do progresso, e não o das reversões. O caminho a seguir é o do diálogo com os empregadores, com os trabalhadores, com os parceiros sociais para que, numa lógica de compromisso, se efetuem as alterações necessárias”.
A terminar, Susana Lamas afirmou que “temos que decidir se queremos ou não uma sociedade mais democrática, dialogante, mais livre, mais tolerante e com paz social. O PSD sempre soube qual o seu caminho. Importa agora perceber qual o caminho que o PS quer seguir”, rematou.

14-03-2018 Partilhar Recomendar
28-06-2018
É imperativo e necessário repensar as fontes de financiamento da Segurança Social
    Adão Silva considera que esta é uma matéria que exige mais do que “medidas de cosmética e de faz de conta”.
28-06-2018
Mercês Borges critica “complexo de esquerda do PCP”
    Na base da crítica da deputada a proposta dos comunistas que cria uma taxa de 10,5% sobre todos lucros que as empresas têm.
05-06-2018
PSD desafia governo para “largo consenso” em matéria de natalidade
    Fernando Negrão considerou este “o maior problema do país” e lamentou o “vazio completo” de ideias por parte do executivo.
18-05-2018
PCP e BE estão numa “disputa fratricida” pelo título de campeão do proletariado
    Pedro Roque recordou a estes partidos que “a economia é demasiado importante para experimentalismos ou voluntarismos”.
09-05-2018
POISE: PSD exige explicações do Ministro do Trabalho sobre os atrasos nos reembolsos aos projetos beneficiários
    Cristóvão Crespo e Mercês Borges querem que esta situação seja “resolvida com rapidez”.
02-05-2018
Temos de estar todos empenhados no debate sobre as implicações da evolução tecnológica no mundo laboral
    Mercês Borges sublinhou a importância dos trabalhadores terem acesso a mais e melhores qualificações.
02-05-2018
PSD defende a atualização salarial da Função Pública em 2019
    Pedro Roque frisou que no presente momento económico e financeiro de Portugal, “é ilegítimo e injusto continuar a congelar os salários da Função Pública”.
26-04-2018
“A cultura da prevenção é um fator determinante e decisivo para combater a sinistralidade laboral”
    Clara Marques Mendes considera que este é um objetivo que deve nortear todos os decisores.
11-04-2018
Governo e os partidos de esquerda estão em estado de gestão de eleições e de eleitorado
    Clara Marques Mendes apelou ao executivo e aos partidos que o suportam para que coloquem os interesses dos portugueses à frente dos seus interesses eleitorais.
11-04-2018
O PS não tem um propósito para o país e deixou-se levar pela esquerda-radical
    Carlos Barros considera que temos “um governo tóxico para o país”.
Início Anterior Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas