Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Susana Lamas: PCP insiste em reverter reformas e em permanecer no passado
A deputada considera que os comunistas pretendem a retoma de legislação laboral que está obsoleta.
Susana Lamas acusa o PCP de continuar com o mesmo discurso de há décadas, defendendo a retoma de legislação que está obsoleta e ignorando que o mundo mudou e que o paradigma do mercado laboral já não é o mesmo. Num debate sobre Legislação Laboral, em que os comunistas pretendiam reverter a legislação em vigor, a deputada considerou que o que o Parlamento devia estar a fazer era “preparar o futuro do mundo laboral, da nova realidade do trabalho, dos novos desafios que se avizinham. Mas não é isso que está aqui a acontecer, não é isso que a Esquerda nos propõe. O Partido Comunista insiste em reverter reformas, insiste em permanecer no passado”. Perante esta intenção, a deputada declara que importa saber o que é que o PS vai fazer. “É preciso saber o que pretende afinal o PS. Por um lado, o Ministro Vieira da Silva já veio dizer que rejeita alterações profundas à lei laboral. Mas por outro lado, também já deu aval a alterações da legislação, propostas pelos vossos parceiros de coligação, sem ouvir e em total desrespeito pela concertação social. E agora, vão ceder à pressão da esquerda e da CGTP, que insistem na revogação das leis laborais? Que preferem a luta na rua ao diálogo e ao compromisso na concertação social? O PS vai arriscar a criação de um ambiente crispado, com menos consenso social e, portanto, menos propício ao desenvolvimento da atividade económica? Senhores deputados do PS, os maiores problemas são a incerteza e a falta de clareza que os empregadores e os trabalhadores enfrentam. E, portanto, estes querem saber o que de facto vai mudar na legislação laboral”.
No que respeita à posição do PSD, a parlamentar frisou que para os sociais-democratas “o caminho a seguir é o da continuidade, do progresso, e não o das reversões. O caminho a seguir é o do diálogo com os empregadores, com os trabalhadores, com os parceiros sociais para que, numa lógica de compromisso, se efetuem as alterações necessárias”.
A terminar, Susana Lamas afirmou que “temos que decidir se queremos ou não uma sociedade mais democrática, dialogante, mais livre, mais tolerante e com paz social. O PSD sempre soube qual o seu caminho. Importa agora perceber qual o caminho que o PS quer seguir”, rematou.

14-03-2018 Partilhar Recomendar
17-04-2019
PSD desafia todos os partidos para resolver o problema da Segurança Social
    Fernando Negrão frisou que a resolução deste problema não pode continuar a ser adiada.
10-04-2019
Desigualdades salariais entre gestores e demais trabalhadores: governo desrespeitou o prometido
    Clara Marques Mendes assinalou que, também nesta matéria, palavra dada não foi palavra honrada.
05-04-2019
Governo não respeita o compromisso de diálogo e negociação coletiva assinado com os sindicatos
    Carla Barros considera que a “palavra dada” continua sem ser honrada.
15-03-2019
Esquerda governa para os eleitores e não para os portugueses
    Joana Barata Lopes lamentou que estes partidos governem sem pensar no futuro.
15-03-2019
Clara Marques Mendes coloca em evidência a hipocrisia do PCP
    A deputada lembra que os comunistas, apesar de verem as suas propostas chumbadas pelo PS, continuam a viabilizar os Orçamentos.
15-03-2019
Álvaro Batista: “com o governo das esquerdas 1 em cada 4 trabalhadores são precários”
    O social-democrata referiu-se à consciência pesada das esquerdas que prometeram reduzir a precariedade laboral e fizeram precisamente o contrário.
08-03-2019
PSD defende a criação de um Estatuto do Cuidador Informal
    A iniciativa dos sociais-democratas foi apresentada pela deputada Helga Correia.
08-03-2019
Cuidadores Informais querem respostas, não falsas ilusões
    Mercês Borges considera que falta vontade ao governo para dar resposta a este problema.
07-03-2019
Novo Banco: “queremos conhecer tudo em nome do interesse dos portugueses”
    Adão Silva exigiu explicações a António Costa sobre a “trapalhada” que se revelou a solução encontrada para o Novo Banco.
21-02-2019
Rui Cruz: “aquilo que foi dado aos portugueses, foi-lhes tirado por mais impostos, taxas, preços e tarifas”
    O deputado considera que “precisamos de um governo que seja capaz de induzir um crescimento económico robusto e continuado”.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas