Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Sandra Pereira: “o PCP cristalizou-se e parou no tempo”
A deputada referiu-se à “inquietação” de um partido que defende uma coisa na rua e depois vota ao lado do governo.
Sandra Pereira considera que o debate sobre a Legislação Laboral, agendado pelo PCP, é um ensaio preparatório dos comunistas para as suas celebrações de Abril e de Maio. Segundo a deputada, “nesta altura do ano o PCP inicia um processo de metamorfose em que de parceiro do Governo passa a porta-voz da CGTP. Primeiro são os cartazes na rua, depois são os debates aqui no Parlamento, depois vem o 25 de Abril e o Dia do Trabalhador com manifestações por todo o país e logo a seguir regressam ao governo e votam ao lado do Governo, contradizendo tudo o que andaram a dizer na rua”.
Dirigindo-se à bancada comunista, a deputada manifestou a sua compreensão relativamente à “inquietação” do PCP. “É a inquietação de quem, ora está a votar Orçamentos ao lado do governo, ora está lá fora com cartazes a exigir a reversão da Lei laboral. É a inquietação de quem é vítima do jogo de faz de conta deste governo. Sempre que a CGTP quer falar mais alto o PCP transforma-se no seu microfone, mas não passa disso porque os senhores não conseguem fazer valer nas negociações aquilo que apregoam na rua”.
De seguida, Sandra Pereira sublinhou que “o PCP cristalizou-se e parou no tempo”. “Continua a dizer a mesma lengalenga há 50 anos, recusando perceber que os mecanismos de segurança no trabalho são outros e recusando perceber que os desafios do mundo do trabalho são novos e são diferentes. A revolução tecnológica, as novas formas de trabalho, os robots inteligentes, tudo está em desenvolvimento no mundo do trabalho. E o que tem o PCP a dizer-nos sobre isto? Nada”, responde a parlamentar.
A terminar, Sandra Pereira questionou à bancada comunista “quando é que o PCP vai ser deixar de ser um partido birra, amadurece e se liberta do protesto”.

14-03-2018 Partilhar Recomendar
15-03-2019
Esquerda governa para os eleitores e não para os portugueses
    Joana Barata Lopes lamentou que estes partidos governem sem pensar no futuro.
15-03-2019
Clara Marques Mendes coloca em evidência a hipocrisia do PCP
    A deputada lembra que os comunistas, apesar de verem as suas propostas chumbadas pelo PS, continuam a viabilizar os Orçamentos.
15-03-2019
Álvaro Batista: “com o governo das esquerdas 1 em cada 4 trabalhadores são precários”
    O social-democrata referiu-se à consciência pesada das esquerdas que prometeram reduzir a precariedade laboral e fizeram precisamente o contrário.
08-03-2019
PSD defende a criação de um Estatuto do Cuidador Informal
    A iniciativa dos sociais-democratas foi apresentada pela deputada Helga Correia.
08-03-2019
Cuidadores Informais querem respostas, não falsas ilusões
    Mercês Borges considera que falta vontade ao governo para dar resposta a este problema.
07-03-2019
Novo Banco: “queremos conhecer tudo em nome do interesse dos portugueses”
    Adão Silva exigiu explicações a António Costa sobre a “trapalhada” que se revelou a solução encontrada para o Novo Banco.
21-02-2019
Rui Cruz: “aquilo que foi dado aos portugueses, foi-lhes tirado por mais impostos, taxas, preços e tarifas”
    O deputado considera que “precisamos de um governo que seja capaz de induzir um crescimento económico robusto e continuado”.
21-02-2019
“Com o governo das esquerdas os trabalhadores precários aumentaram de forma explosiva”
    Álvaro Batista acusou a governação das esquerdas de ter falhado o objetivo de reduzir a precariedade.
13-02-2019
Portugal está a caminho de se tornar o quinto país mais pobre da União Europeia
    Joana Barata Lopes enfatizou que o combate à pobreza “é o único caminho que permitirá às pessoas a liberdade efetiva para construírem o seu plano de felicidade”.
13-02-2019
“Políticas públicas atuais têm falhado na redução da pobreza e das desigualdades sociais”
    Clara Marques Mendes frisou que precisamos de uma geração de políticas que promovam a economia, que enfrentem a demografia e que afrontem a pobreza e desigualdades sociais.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas