Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Esquerda deu uma “grande machadada” na legislação laboral
No debate quinzenal com o Primeiro-Ministro, Hugo Soares acusou ainda António Costa de ser “impreparado” e de ceder a tudo com o único propósito de manter a geringonça no poder.
No debate quinzenal com o Primeiro-Ministro, Hugo Soares começou por saudar os portugueses, as empresas e o próprio Governo pelos números alcançados em torno do desemprego. Segundo o líder parlamentar do PSD, ao contrário do que é dito pela esquerda, o desemprego vem descendo desde fevereiro de 2013, algo que está relacionado com o crescimento económico e com as reformas estruturais na lei laboral introduzidas pelo anterior executivo. Neste âmbito, adianta, “a estabilidade da legislação laboral é fundamental para que tudo isto possa concorrer para que tenhamos mais portugueses empregados”. Tendo em conta esta realidade, Hugo Soares lamentou que esta semana tenha sido dada “a primeira grande machadada na estabilidade da legislação laboral”, com a aprovação de uma Lei que consagrar o direito do trabalhador a opor-se à transição do seu contrato quando o seu empregador decida passá-lo para outra empresa, parte de empresa ou estabelecimento. A este propósito, o social-democrata desafiou António Costa a revelar se está de acordo com a posição favorável que o PS assumiu e com aprovação desta Lei sem uma discussão em concertação social.
De seguida, o social-democrata acusou o Primeiro-Ministro de incoerência, recordando que António Costa, em campanha eleitoral, classificou como um “absurdo” o aumento constante da idade da reforma. “O senhor governa há dois anos e acabou de publicar uma portaria que aumenta a idade da reforma, o senhor cultiva o absurdo”, questionou o social-democrata. Perante a distorção da realidade por parte do governante, Hugo Soares sentenciou: “o país sabe hoje que tudo aquilo que o senhor Primeiro-Ministro disser em campanha eleitoral vale zero. É palavra dada que não é absolutamente honrada”, remata.
Outras das palavras do socialista que foram recordadas pelo líder da “bancada laranja” estão relacionadas com o investimento público. Lembra o parlamentar que, em campanha eleitoral, António Costa defendia a importância deste investimento, mas no governo cativou as verbas e não atingiu sequer os valores que o anterior governo tinha em 2015. Depois de questionar ao socialista o que ficou por fazer com os 850 milhões de euros que foram cativados e de, uma vez mais, ficar sem resposta, Hugo Soares concluiu a sua participação no debate frisando que o país sabe que tem “um Primeiro-Ministro impreparado, que não tem a frontalidade de assumir as consequências das suas políticas e que cede a tudo com o único propósito de manter a geringonça no poder”.

01-02-2018 Partilhar Recomendar
Hugo Soares questiona o Primeiro-Ministro
Hugo Soares questiona o Primeiro-Ministro
Hugo Soares questiona o Primeiro-Ministro
22-03-2018
Com este governo assistimos a muitos anúncios e pouca concretização
    Nilza de Sena considera que essa concretização é crucial para que Portugal não continue a ter o quinto crescimento mais baixo da Europa.
22-03-2018
Crescimento económico: continuamos na cauda da União Europeia
    Paulo Neves confrontou a euforia dos socialistas com a realidade dos números.
22-03-2018
“O país poderia estar a crescer muito mais e a beneficiar muito mais”
    Luís Campos Ferreira considera que isso seria uma realidade “se não tivéssemos um governo manietado por uma maioria de esquerda que é avessa a uma economia social de mercado”.
22-03-2018
Governo tem uma péssima relação com as Universidades e Centros de Investigação
    Cristóvão Norte fala num conflito permanente entre o executivo e as instituições.
14-03-2018
Legislação Laboral: as leis em vigor são boas
    Adão Silva questionou se ainda vamos ver o PCP na rua a gritar: “a luta continua, governo para a rua”.
14-03-2018
Legislação Laboral: Pedro Roque apela ao sentido de responsabilidade do PS
    O social-democrata alertou para os riscos de uma cedência dos socialistas à agenda da esquerda-radical.
14-03-2018
Susana Lamas: PCP insiste em reverter reformas e em permanecer no passado
    A deputada considera que os comunistas pretendem a retoma de legislação laboral que está obsoleta.
14-03-2018
“Governo não está a saber aproveitar a conjuntura favorável para preparar o futuro”
    Mercês Borges lamentou a apatia de um executivo que, além de não dar resposta às necessidades das empresas, deixa pairar a ameaça de uma revisão das leis laborais.
14-03-2018
Sandra Pereira: “o PCP cristalizou-se e parou no tempo”
    A deputada referiu-se à “inquietação” de um partido que defende uma coisa na rua e depois vota ao lado do governo.
09-03-2018
O emprego precário não diminuiu e o fosso salarial não se reduz
    Clara Marques Mendes considera que o mérito é sobretudo dos empresários, dos trabalhadores e das condições exteriores excecionalmente favoráveis.
Início Anterior Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas