Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Esquerda deu uma “grande machadada” na legislação laboral
No debate quinzenal com o Primeiro-Ministro, Hugo Soares acusou ainda António Costa de ser “impreparado” e de ceder a tudo com o único propósito de manter a geringonça no poder.
No debate quinzenal com o Primeiro-Ministro, Hugo Soares começou por saudar os portugueses, as empresas e o próprio Governo pelos números alcançados em torno do desemprego. Segundo o líder parlamentar do PSD, ao contrário do que é dito pela esquerda, o desemprego vem descendo desde fevereiro de 2013, algo que está relacionado com o crescimento económico e com as reformas estruturais na lei laboral introduzidas pelo anterior executivo. Neste âmbito, adianta, “a estabilidade da legislação laboral é fundamental para que tudo isto possa concorrer para que tenhamos mais portugueses empregados”. Tendo em conta esta realidade, Hugo Soares lamentou que esta semana tenha sido dada “a primeira grande machadada na estabilidade da legislação laboral”, com a aprovação de uma Lei que consagrar o direito do trabalhador a opor-se à transição do seu contrato quando o seu empregador decida passá-lo para outra empresa, parte de empresa ou estabelecimento. A este propósito, o social-democrata desafiou António Costa a revelar se está de acordo com a posição favorável que o PS assumiu e com aprovação desta Lei sem uma discussão em concertação social.
De seguida, o social-democrata acusou o Primeiro-Ministro de incoerência, recordando que António Costa, em campanha eleitoral, classificou como um “absurdo” o aumento constante da idade da reforma. “O senhor governa há dois anos e acabou de publicar uma portaria que aumenta a idade da reforma, o senhor cultiva o absurdo”, questionou o social-democrata. Perante a distorção da realidade por parte do governante, Hugo Soares sentenciou: “o país sabe hoje que tudo aquilo que o senhor Primeiro-Ministro disser em campanha eleitoral vale zero. É palavra dada que não é absolutamente honrada”, remata.
Outras das palavras do socialista que foram recordadas pelo líder da “bancada laranja” estão relacionadas com o investimento público. Lembra o parlamentar que, em campanha eleitoral, António Costa defendia a importância deste investimento, mas no governo cativou as verbas e não atingiu sequer os valores que o anterior governo tinha em 2015. Depois de questionar ao socialista o que ficou por fazer com os 850 milhões de euros que foram cativados e de, uma vez mais, ficar sem resposta, Hugo Soares concluiu a sua participação no debate frisando que o país sabe que tem “um Primeiro-Ministro impreparado, que não tem a frontalidade de assumir as consequências das suas políticas e que cede a tudo com o único propósito de manter a geringonça no poder”.

01-02-2018 Partilhar Recomendar
Hugo Soares questiona o Primeiro-Ministro
Hugo Soares questiona o Primeiro-Ministro
Hugo Soares questiona o Primeiro-Ministro
02-07-2019
Legislação laboral tem permitido a recuperação de emprego e o crescimento económico
    Susana Lamas sublinhou igualmente a importância da concertação social.
25-04-2019
25 de Abril: PSD avisa que portugueses repudiarão clubismo partidário ou nepotismo
    Pedro Roque confessou que, apesar deste dia ser de “união em torno de um bem maior”, tem “alguma apreensão” com o futuro do país.
10-04-2019
Desigualdades salariais entre gestores e demais trabalhadores: governo desrespeitou o prometido
    Clara Marques Mendes assinalou que, também nesta matéria, palavra dada não foi palavra honrada.
04-04-2019
“O Governo não consegue nomear pessoas qualificadas sem serem familiares?”
    Fernando Negrão entende que o “Governo está a funcionar em circuito fechado”.
19-03-2019
Passe Único: “medida eleitoral como nunca se viu”
    Fernando Negrão acusou o governo de apresentar a redução dos preços dos passes apenas para Lisboa e Porto e de não aumentar o número de transportes.
13-03-2019
PIN Pedras Salgadas: “parece-nos difícil haver projetos desta importância que sejam construídos contra as populações”
    Paulo Rios de Oliveira considera que estamos perante um difícil divórcio quando a população deixa de falar no “seu local” e passa a falar no “local deles”.
15-02-2019
Regulação dos Drones: “3 anos para isto?”
    Joel Sá referiu que a proposta apresentada pelo governo foi considerada uma “aberração jurídica”.
17-01-2019
Proposta do PS para limitar a disparidade salarial é o reconhecimento do falhanço do seu governo
    Contudo, Sandra Pereira adiantou que esta matéria merece uma discussão séria e aprofundada, especialmente em sede de concertação social.
05-12-2018
Clara Marques Mendes: PCP e BE insistem em fingir que são oposição
    A deputada lembrou a estes partidos que apoiam o governo e apelou a que “não finjam ser o que não são”.
30-10-2018
Há um ano que existe queda da atividade económica
    No entender de Paulo Rios de Oliveira, são necessárias reformas que melhorem a competitividade das empresas e a estabilidade fiscal.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas