Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Esquerda deu uma “grande machadada” na legislação laboral
No debate quinzenal com o Primeiro-Ministro, Hugo Soares acusou ainda António Costa de ser “impreparado” e de ceder a tudo com o único propósito de manter a geringonça no poder.
No debate quinzenal com o Primeiro-Ministro, Hugo Soares começou por saudar os portugueses, as empresas e o próprio Governo pelos números alcançados em torno do desemprego. Segundo o líder parlamentar do PSD, ao contrário do que é dito pela esquerda, o desemprego vem descendo desde fevereiro de 2013, algo que está relacionado com o crescimento económico e com as reformas estruturais na lei laboral introduzidas pelo anterior executivo. Neste âmbito, adianta, “a estabilidade da legislação laboral é fundamental para que tudo isto possa concorrer para que tenhamos mais portugueses empregados”. Tendo em conta esta realidade, Hugo Soares lamentou que esta semana tenha sido dada “a primeira grande machadada na estabilidade da legislação laboral”, com a aprovação de uma Lei que consagrar o direito do trabalhador a opor-se à transição do seu contrato quando o seu empregador decida passá-lo para outra empresa, parte de empresa ou estabelecimento. A este propósito, o social-democrata desafiou António Costa a revelar se está de acordo com a posição favorável que o PS assumiu e com aprovação desta Lei sem uma discussão em concertação social.
De seguida, o social-democrata acusou o Primeiro-Ministro de incoerência, recordando que António Costa, em campanha eleitoral, classificou como um “absurdo” o aumento constante da idade da reforma. “O senhor governa há dois anos e acabou de publicar uma portaria que aumenta a idade da reforma, o senhor cultiva o absurdo”, questionou o social-democrata. Perante a distorção da realidade por parte do governante, Hugo Soares sentenciou: “o país sabe hoje que tudo aquilo que o senhor Primeiro-Ministro disser em campanha eleitoral vale zero. É palavra dada que não é absolutamente honrada”, remata.
Outras das palavras do socialista que foram recordadas pelo líder da “bancada laranja” estão relacionadas com o investimento público. Lembra o parlamentar que, em campanha eleitoral, António Costa defendia a importância deste investimento, mas no governo cativou as verbas e não atingiu sequer os valores que o anterior governo tinha em 2015. Depois de questionar ao socialista o que ficou por fazer com os 850 milhões de euros que foram cativados e de, uma vez mais, ficar sem resposta, Hugo Soares concluiu a sua participação no debate frisando que o país sabe que tem “um Primeiro-Ministro impreparado, que não tem a frontalidade de assumir as consequências das suas políticas e que cede a tudo com o único propósito de manter a geringonça no poder”.

01-02-2018 Partilhar Recomendar
Hugo Soares questiona o Primeiro-Ministro
Hugo Soares questiona o Primeiro-Ministro
Hugo Soares questiona o Primeiro-Ministro
21-02-2018
A única preocupação do PS é com o curto prazo e com as eleições de 2019
    A crítica foi deixada por António Costa Silva no Plenário.
21-02-2018
PSD elegeu questões sociais e desafios económicos como principais áreas de atuação
    Feliciano Barreiras Duarte refere que do Congresso do PSD saiu uma estratégia virada para o País e dirigida aos Portugueses.
14-02-2018
Crescimento Económico: com este governo Portugal cresce pouco
    Hugo Soares recordou que apesar da conjuntura externa extremamente favorável, dos 27 países da União Europeia, Portugal só está à frente de 7.
08-02-2018
“Com as esquerdas os transportes públicos têm andado uma lástima”
    Segundo Álvaro Batista as queixas dos passageiros “caem em cesto roto”.
08-02-2018
PSD criou as condições para que se gerasse mais emprego e se combatesse o desemprego
    Adão Silva apelou aos socialistas para resistirem “aos ataques de pacotilha dos parceiros da esquerda radical”.
02-02-2018
Alterações ao regime de transmissão de empresa ou estabelecimento trazem um conjunto de incertezas e não acautelam os direitos dos trabalhadores
    Clara Marques Mendes alertou para as graves consequências destas alterações.
02-02-2018
Reprogramação do Portugal 2020: governo tem atuado nas costas dos portugueses
    Luís Leite Ramos afirmou que o PSD só participará numa Comissão de Acompanhamento do Processo de Definição da «Estratégia Portugal 2030» se esta não representar um simulacro de debate.
02-02-2018
“As bancadas que fazem parte desta solução de governo não têm nenhum compromisso com os trabalhadores”
    Carla Barros criticou ainda os bloquistas e comunistas por se comportarem como “inimigos da concertação social”.
31-01-2018
PSD defende a criação de um registo nacional único e CAE específico para a atividade económica itinerante de diversão
    António Costa Silva apresentou a iniciativa dos sociais-democratas.
04-01-2018
“Queremos um Novo Ano em que o Estado não falhe aos cidadãos”
    Maria Luís Albuquerque frisou que o “PSD não assumirá o ónus das escolhas que não são as suas. Seremos sempre responsáveis, nunca seremos cúmplices”.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas