Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
CTT: Luís Leite Ramos assinala “falta de pudor” dos socialistas
O deputado sublinhou que “só a falta de vergonha” é que pode levar o PS a acusar o PSD de ter tomado a decisão de privatizar os CTT.
“A falta de memória não é doença rara nos deputados do PS. Rara, raríssima é assunção das responsabilidades por parte dos seus dirigentes, dos seus governantes e dos seus deputados, uma vez que seja, por aquilo que fizeram e fazem”. Foi desta forma que Luís Leite Ramos iniciou a sua intervenção, esta sexta-feira, no debate de iniciativas dos partidos da esquerda sobre o controlo e gestão dos CTT.
Depois de recordar uma notícia de 2010, altura de governação socialista, que dava conta da intenção do governo de privatizar os CTT e de lembrar que o acordo que os socialistas fizeram com a troika previa exatamente isso, o Vice-Presidente da bancada do PSD frisou que “só a falta de vergonha é que pode fazer com que o PS acuse o PSD de ter tomado esta decisão”.
De seguida, o parlamentar recordou que a concessão dos CTT até 2030 está enquadrada num conjunto de obrigações e objetivos que são definidos e acompanhados pelo regulador e pelo governo. “É extraordinário que, 2 anos depois de o governo tomar posse, o senhor deputado venha a este Parlamento apresentar um Projeto que recomenda ao governo aquilo que é a sua obrigação. O que é que fez o governo nestes 2 anos? O governo tem dados do incumprimento dos CTT relativamente ao serviço universal postal e às obrigações no quadro do contrato de concessão? Então porque é que o governo não agiu”, questionou Luís Leite Ramos à bancada do PS, acrescentado que é “esta falta de pudor e de responsabilidade que é a marca de água deste governo e do PS”.
A terminar, o social-democrata frisou que aquilo que o país precisava era que o PS, de uma vez por todas, cuidasse da defesa dos interesses dos portugueses e não passasse o tempo a atirar as responsabilidades para os outros.

15-12-2017 Partilhar Recomendar
06-12-2017
“Este é um governo sozinho e esgotado”
    Hugo Soares afirmou que em questões estruturais o governo não pode contar com BE e PCP e questionou António Costa sobre o Infarmed e sobre o “flick flack à retaguarda” do PS em relação ao imposto das renováveis.
26-10-2017
Carla Barros considera que o PS devia introduzir uma “lei travão” no BE e no PCP
    A deputada alerta que não há garantias de que os direitos que são atribuídos hoje aos trabalhadores possam ser garantidos no futuro.
26-10-2017
“O PSD sempre se preocupou com os trabalhadores da administração pública”
    Prova disso, adianta Álvaro Batista, é a iniciativa do PSD que estabelece a responsabilidade da entidade patronal pela formação obrigatória dos trabalhadores.
26-04-2017
Passos Coelho acusa o PS de lidar mal com entidades independentes
    O líder do PSD recordou a velha máxima socialista de que “quem se mete com o PS leva”.
23-02-2017
“No último ano assistimos a uma evidente degradação na prestação de serviços públicos”
    Segundo Luís Marques Guedes “degradação” é a palavra de ordem da esquerda na gestão dos serviços públicos.
23-02-2017
Se o governo continuar com estas políticas a sustentabilidade do SNS não estará assegurada
    Luís Vales acusou comunistas e bloquistas de agora não estarem preocupados com os trabalhadores com pagamentos em atraso.
23-02-2017
Descentralização: o PSD foi o único partido que apresentou propostas no Parlamento
    Berta Cabral lamentou o atraso do governo na apresentação das suas iniciativas.
23-02-2017
Abandono escolar precoce aumentou pela primeira vez em mais de 10 anos
    Amadeu Albergaria considera que a incompetência do Ministro da Educação é trágica para o nosso futuro coletivo.
23-02-2017
“As esquerdas não têm um projeto comum a olhar para o futuro de Portugal”
    No debate sobre a “Reforma do Estado e Acesso aos Serviços Públicos”, Hugo Soares frisou que “o governo das esquerdas é o inimigo dos serviços públicos”.
15-12-2016
Carla Barros lembra o “cadastro” do PS em matéria de mobilidade dos trabalhadores
    A deputada afirmou que o PSD defende um modelo assente em três aspetos: valorização e dignidade do trabalhador, um serviço público de elevada qualidade e o seu custo para os portugueses.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas