Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
“Portugal deve aderir à Cooperação Estruturada Permanente”
A posição dos sociais-democratas foi expressa pelo deputado Costa Neves.
Costa Neves apresentou, esta quarta-feira, o Projeto de Resolução do PSD referente à Cooperação Estruturada Permanente em matéria de Segurança e Defesa. De acordo com o social-democrata as oportunidades emergentes e o controlo de novos riscos e ameaças, quase sempre maiores do que os Estados, convocam a permanente renovação da União Europeia, no absoluto respeito pelos princípios e valores que partilhamos. Tende em conta esta realidade, adianta, emerge a relevância do reforço de competências e capacidades em matéria de segurança e defesa, como previsto no Tratado de Lisboa. “Sim, para o PSD é essencial consolidar a União de Defesa, entendida como o pilar europeu da NATO, pelo que sempre considerámos que Portugal deve aderir à Cooperação Estruturada Permanente, desde a primeira hora. Esta cooperação reforçada garante maior racionalidade operacional, designadamente quanto à definição, mobilização e utilização de forças, meios e equipamentos militares, contrariando a fragmentação existente. Neste contexto, relevamos também a maior eficácia do esforço financeiro do País e valorizamos o incremento da Investigação e Desenvolvimento, bem como da Indústria de Defesa e de outras com ela conexas”.
De seguida, o social-democrata frisou ser essencial que em matérias como a segurança e a defesa, o consenso europeu tenha por base um firme compromisso nacional, não a mera opção de um governo, efémero por natureza. “Os consensos negoceiam-se, os compromissos trabalham-se, uns e outros com base na transparência e no rigor próprios da democracia e do estado de direito. A defesa do interesse nacional implica que o nosso compromisso com a partilha de soberania que se perspetiva não seja incondicional. Daí que: aguardemos o Plano de Implementação, tal como acordado com o Governo, pois é nele que se dará expressão aos compromissos vinculativos a assumir por Portugal, sujeitos, aliás, a monitorização; Consideremos essencial a Declaração de Princípio a que se refere o Projeto de Resolução que apresentamos, onde enunciamos as nossas motivações e os três pressupostos que sempre afirmámos com clareza e, nessa medida, saudemos o Partido Socialista por ter agora incorporado esta visão no respetivo Projeto de Resolução”.
Assim, defende Costa Neves, o momento adequado para concretizar tal Declaração é o da notificação do pedido de adesão. “É no início do processo que se afirma solenemente o que se quer e o que não se quer. Desta Declaração formal deve constar que: a adesão de Portugal é encarada como um exercício não conflitual e complementar da participação na NATO; Apesar deste ser um processo aberto e progressivo, não conduzirá à criação de um Exército Comum Europeu; Não obedecerá ao princípio da especialização das Forças Armadas”.
A terminar, o deputado deixou a garantia que o escrutínio do PSD a este processo prosseguirá para além do próximo Conselho Europeu.

06-12-2017 Partilhar Recomendar
29-03-2017
Brexit: “hoje é um dia pouco feliz para a Europa”
    No dia em que o Reino Unido avança com a saída da União Europeia, Regina Bastos frisou que temos de dar o nosso contributo para uma Europa mais forte, coesa e solidária.
24-03-2017
Miguel Morgado: “o Presidente do Eurogrupo tem de ir embora”
    O deputado apresentou o Voto de Condenação do PSD pelas declarações inaceitáveis proferidas por Jeroen Dijsselbloem.
24-03-2017
Regina Bastos evoca 60 anos da assinatura do Tratado de Roma
    A deputada enfatizou que o PSD continua empenhado na construção de uma Europa forte e unida.
22-03-2017
CGD: Luís Montenegro denuncia “privatização geringonçada”
    No debate quinzenal, o social-democrata questionou o Primeiro-Ministro sobre o encerramento dos balcões da Caixa e sobre a reforma curricular anunciada pelo Secretário de Estado da Educação.
17-03-2017
Manuel Rodrigues destaca benefícios do CETA para as pequenas e médias empresas portuguesas
    O parlamentar lembra que com este acordo estas empresas deixam praticamente de pagar taxas aduaneiras.
17-03-2017
“O CETA cria novas oportunidades para as empresas da União”
    Segundo António Costa Silva este acordo permitirá uma poupança de mais de 500 milhões de euros por ano às empresas da União e beneficiará fortemente as empresas mais pequenas.
08-03-2017
Europa: Miguel Morgado refere que a ameaça da criação de um diretório volta a pairar
    O social-democrata alertou para a ideia que se começa a impor de que a Europa deve caminhar a várias velocidades.
03-03-2017
Duarte Marques: “a esquerda só quer a Europa dos direitos, não a dos deveres”
    O deputado acusou os parceiros de coligação do governo de defenderam a “implosão” de Europa.
03-03-2017
“Precisamos de uma Europa com melhores soluções para os problemas que temos em comum”
    No debate sobre a Presidência Maltesa no Conselho Europeu, Miguel Morgado alertou para “o risco de fragmentação” da União.
27-01-2017
Passos Coelho expõe a “fantasia” e o “faz de conta” do Governo em matéria de défice
    O social-democrata frisou que o Governo só conseguiu atingir a meta de défice fazendo “exatamente aquilo que disse que não ia fazer”.
Início Anterior Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas