Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
“As dívidas do SNS estão a aumentar avassaladoramente”
Ângela Guerra alerta que a prestação de cuidados de saúde aos doentes está a ser posta em causa.
Ângela Guerra interrogou o Primeiro-Ministro sobre o Orçamento destinado ao Ministério da Saúde. No debate do Orçamento do Estado para 2018, a deputada desmontou a argumentação do executivo e afirmou que, feitas as contas, verifica-se que o aumento real do Programa da Saúde será inferior a 80 milhões de euros, sendo que as transferências do Estado para o SNS sofrem uma redução de 51 milhões de euros. Contudo, adianta a parlamentar, se esta diminuição do financiamento para o sector da Saúde é muito grave para os portugueses, “ela não preocupa os seus camaradas da extrema-esquerda, que deverão, pelo terceiro ano consecutivo, aprovar um Orçamento que degrada os cuidados de saúde prestados às pessoas”.
De seguida, a deputada lembrou que a dívida do SNS aos seus fornecedores ultrapassa os 2 mil milhões de euros. “Só a dívida dos hospitais do SNS é de 960 milhões de euros, estando a crescer a um ritmo de quase 60 milhões de euros por mês, ou seja, 2 milhões por dia. A dívida do Ministério da Saúde aos bombeiros, em transporte não urgentes de doentes, excede já os 25 milhões de euros”. Perante este cenário, Ângela Guerra foi perentória no alerta: “todas estas dívidas do SNS estão a aumentar avassaladoramente e é a prestação de cuidados de saúde aos doentes que está ser posta em causa”.
A terminar, a deputada referiu-se às obras no IPO. Segundo a parlamentar o governo liderado pelo PSD deixou uma verba de 5 milhões de euros para a ampliação do IPO de Lisboa, verba que vem sendo bloqueada pelo Ministro das Finanças. “Esta situação do IPO é a prova provada da ineficácia do Ministro da Saúde. Mas o que nos importa não é guerra de cadeiras dentro do governo, o que importa são as mais de 1200 pessoas com cancro que aguardam por uma cirurgia que não chega. “Quando é que o senhor Primeiro-Ministro cumpre com o seu dever de colocar a vida dos doentes à frente das suas opções orçamentais”, questionou.

02-11-2017 Partilhar Recomendar
12-10-2018
Hospital da Madeira: deputados do PSD eleitos pela Região exigem a correção da decisão do Conselho de Ministros
    Os sociais-democratas exigem que António Costa honre o compromisso assumido de financiar a obra em 50%.
11-10-2018
Vacinação: Portugal não pode descansar sobre os resultados alcançados
    António Topa reconheceu que o nosso país tem um Programa Nacional de Vacinação bom, universal, gratuito e acessível.
11-10-2018
Laura Magalhães: “as políticas de combate à droga não devem ser ambíguas”
    A deputada apelou ao consenso em torno de medidas que visem o combate ao consumo de drogas ilícitas.
04-10-2018
Helga Correia exige respostas urgentes para o hospital de Oliveira de Azeméis
    Exigência surge após uma visita a esta unidade hospitalar.
04-10-2018
“Só fala constantemente do passado quem tem medo do presente e de assumir as responsabilidades”
    Simão Ribeiro desafiou os partidos da esquerda a assumirem as suas responsabilidades pelos problemas nos serviços públicos.
04-10-2018
Atrasos e dívidas do governo afetam a saúde dos madeirenses
    Sara Madruga da Costa e Rubina Berardo reuniram com o Secretário Regional da Saúde.
01-10-2018
Deputados do PSD reúnem com a Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo
    Os sociais-democratas eleitos pelo distrito de Santarém saíram da reunião preocupados com a falta de investimento e com o fracasso da descentralização.
28-09-2018
O Hospital da Madeira não pode ser arma de arremesso político
    Sara Madruga da Costa lamenta que o governo tenha demorado três anos a tomar uma decisão sobre uma infraestrutura que é fundamental para os madeirenses.
26-09-2018
Os portugueses não podem confiar na palavra do Primeiro-Ministro
    A propósito do Infarmed, Fernando Negrão lembrou a António Costa que “quem não tem palavra não tem credibilidade”.
20-09-2018
Saúde: “a realidade contraria a propaganda do governo”
    Ricardo Baptista Leite considerou “antissocial e totalmente incompreensível” a decisão do governo de excluir todos os doentes com necessidades paliativas da Rede Nacional de Cuidados Continuados.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas