Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Tancos: passados três meses avolumam-se as interrogações
Costa Neves considerou que o que ocorreu é de uma gravidade extrema e exigiu respostas ao Ministro da Defesa.
No debate sobre o “Alegado Furto no Paiol de Tancos”, agendado pelo PSD, Costa Neves confrontou o Ministro da Defesa com um conjunto de questões para as quais, até ao momento, não há respostas: “o que aconteceu em Tancos? Quando e como foi assaltada a instalação militar? O que desapareceu e quem interveio? De quem é a responsabilidade operacional? De quem é a responsabilidade política?” De acordo com o social-democrata, passados três meses, em vez de respostas, avolumam-se as interrogações.
De seguida, o deputado recordou as declarações do Ministro, que afirmou que “«no limite, pode não ter havido assalto» nenhum, sublinhando o deputado que o que aconteceu é de uma gravidade extrema. “Estamos no domínio da Segurança Nacional, logo no núcleo das funções do Estado. Todos o referenciam: o senhor Presidente da República, as forças políticas representadas na Assembleia da República, numa raríssima unanimidade, o próprio Governo, os chefes militares, a opinião pública e publicada. Armas à guarda de quem nos guarda não podem, pura e simplesmente, desaparecer, muito menos nos tempos que correm”.
“Praticamente três meses depois do alegado assalto, está instalada a confusão total: o assalto terá acontecido a 28 de junho, mas, apesar da sua gravidade, o Chefe de Estado Maior General das Forças Armadas e o Ministro da Defesa Nacional são informados um dia mais tarde. Os Serviços de Informação da República tomam conhecimento do desaparecimento das armas pela comunicação social, pelo que a Unidade Anti Terrorista só reúne dois dias depois do presumível assalto. Não são confirmados ou desmentidos rumores de que entidades judiciais terão sido previamente informadas da possibilidade de assalto. A lista confidencial do material roubado aparece nos jornais. Após o alegado assalto, o Chefe do Estado-Maior do Exército fala em desleixo, assume humilhação e exonera os cinco Comandantes de Tancos, para que tudo se apure sem constrangimentos. Duas semanas depois, os exonerados são reconduzidos, certamente porque tudo se apurou. Dois distintos Oficiais Generais, Faria Menezes e José Calçada, nem mais nem menos do que o Comandante Operacional e o Diretor do Pessoal do Exército, passam à reserva”.
Perante este leque de ocorrências, Costa Neves desafiou o Ministro da Defesa a responder às perguntas: “Foi assalto ou simulação de assalto? Quando foi? Quem foi? Como foi? O que desapareceu? E de caminho identifique os responsáveis operacionais pelo que aconteceu e assuma a responsabilidade política”, rematou.

18-09-2017 Partilhar Recomendar
09-05-2019
Lei de Infraestruturas Militares não prevê mecanismos de transparência
    Pedro Roque deixou algumas críticas à proposta do governo e frisou que o PSD pretende contribuir para que o resultado final seja “mais consentâneo com a real necessidade das missões e do desempenho dos militares”.
09-05-2019
Defesa: cativações de Centeno afetam cumprimento da Lei de Infraestruturas Militares
    O alerta foi deixado por Rui Silva.
11-04-2019
Pedro Roque alerta para efeitos negativos para a instituição militar resultantes de um sistema de avaliação desadequado
    O alerta foi deixado no debate de uma Petição da Associação Nacional de Sargentos.
20-03-2019
Rui Silva: preservação da soberania nacional é intocável
    O deputado alertou ainda para o efeito das cativações no setor da Defesa.
13-03-2019
Com a privatização dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo a Empordef passou a dar lucro
    Leonel Costa recordou que as receitas da Empordef eram canalizadas para tapar os prejuízos dos Estaleiros.
15-02-2019
Bruno Vitorino contesta morosidade do processo de atribuição de pensões de preço de sangue
    O deputado considera que “é inaceitável e imoral a demora e burocracia associadas a situações tão sensíveis como esta”.
07-02-2019
PSD evoca memória dos membros do Congresso da República Portuguesa mortos na Grande Guerra
    Conceição Bessa Ruão declarou o apoio do PSD à iniciativa que visa consagrar a memória de João Francisco de Sousa, José Afonso Palla e José Botelho de Carvalho Araújo.
23-01-2019
PSD disponível para contribuir para a construção de um consenso alargado nas matérias relativas à Defesa Nacional
    José de Matos Correia afirmou que, contrariamente ao que o PS fez no passado, os sociais-democratas atuarão com coerência e responsabilidade.
23-01-2019
Lei de Programação Militar: PSD questiona o Ministro sobre duplo uso dos equipamentos a adquirir
    Marco António Costa quis saber quais são esses equipamentos, qual o seu custo e qual a sua dupla utilização.
19-12-2018
Rui Silva: “tratar, cuidar, amparar e curar os nossos militares é um imperativo nacional”
    O deputado manifestou o apoio do PSD à reafetação dos Hospitais Militar Principal e de Belém aos serviços de retaguarda do Hospital das Forças Armadas.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas