Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Sandra Pereira acusa PCP e BE de apresentarem iniciativas que são “um logro para os trabalhadores”
No debate sobre precariedade laboral, a deputada afirmou que estes partidos estão a fazer uma “encenação política”.
No debate de várias iniciativas legislativas referentes à precariedade laboral e ao reforço dos direitos dos direitos dos trabalhadores, Sandra Pereira considerou que esta discussão não pode ser feita à margem da concertação social. “Este debate encerra uma causa tão maior para o nosso País que não pode viver aprisionado a conceitos ideológicos de partidos que vivem do protesto e da permanente tensão social. O PSD valoriza a concertação social como um espaço de diálogo e tranquilidade social, um espaço de cooperação e compromisso entre os parceiros sociais capaz de assegurar o progresso e o desenvolvimento”.
De seguida, a deputada lembrou que nesta sessão legislativa já vamos com inúmeros debates sobre este tema e já deram entrada um número sem conta de iniciativas legislativas todas elas com o objetivo de combater a precariedade, reforçar direitos e reverter a reforma laboral. Contudo, adianta a parlamentar, “o que se tem aqui passado é um logro, é um logro para o país, e é um logro para os trabalhadores, porque não há consequências. É só retórica. O que aqui se tem passado é uma encenação política, uma encenação política protagonizada pela competição oportunista entre o Bloco de Esquerda e o Partido Comunista que disputam o mesmo eleitorado e disputam a paternidade do tema”.
“São os partidos que sustentam o Governo que aqui vêm sistematicamente pressionar alterações à legislação laboral fazendo do parlamento a caixa de ressonância das posições conjuntas que negociaram, enquanto o Governo, esse Governo que apoiam, anda a lourear-se com os resultados obtidos com a descida do desemprego consequência da legislação laboral vigente que é fruto da reforma laboral que o anterior Governo do PSD/CDS corajosamente empreendeu. Reforma que o PS, sempre, sempre criticou, de forma leviana até, uma vez que constituía compromissos oriundos da aplicação do memorando de entendimento, aos quais o PS também estava obrigado. Mas, se por mais não fosse, constituía compromissos para assegurar a solvabilidade do País, a solvabilidade do país que o PS deixou em falência”.
Dirigindo-se às bancadas da esquerda, Sandra Pereira lembrou que o desemprego em Portugal iniciou uma trajetória descendente desde 2013. “A taxa de desemprego caiu de 17% em 2013, para os 11% em 2015. Entre 2014 e 2016 a população empregada aumentou em cerca de 176 mil trabalhadores. Em 2016 a população empregada representou 32% deste valor, o que significa que cerca de 70% do emprego criado nos últimos dois anos foi gerado até 2015. Relativamente à população desempregada decaímos no total 282 mil pessoas, sendo que em 2016 houve o contributo de 26% da baixa de desemprego, ou seja, o desemprego caiu quase 75% do total só entre 2014 e 2015. Quer isto dizer que foi no anterior governo que, quer a queda do desemprego, quer o aumento do emprego, se verificaram de forma mais acentuada. E quer isto dizer que tal se deve à Reforma Laboral”.
A terminar, Sandra Pereira desafiou o PS a anunciar qual vai sei a posição que vai assumir na votação.

12-06-2017 Partilhar Recomendar
14-03-2018
“Governo não está a saber aproveitar a conjuntura favorável para preparar o futuro”
    Mercês Borges lamentou a apatia de um executivo que, além de não dar resposta às necessidades das empresas, deixa pairar a ameaça de uma revisão das leis laborais.
14-03-2018
Sandra Pereira: “o PCP cristalizou-se e parou no tempo”
    A deputada referiu-se à “inquietação” de um partido que defende uma coisa na rua e depois vota ao lado do governo.
09-03-2018
O emprego precário não diminuiu e o fosso salarial não se reduz
    Clara Marques Mendes considera que o mérito é sobretudo dos empresários, dos trabalhadores e das condições exteriores excecionalmente favoráveis.
08-03-2018
As novas gerações não aceitam as decisões políticas como um concurso de popularidade imediatista
    Joana Barata Lopes lamenta que a esquerda continue a encarar o progresso digital e a inovação como um problema.
08-03-2018
Sem confiança e previsibilidade é muito difícil captar investimento estrangeiro
    Virgílio Macedo desafiou os socialistas a dizerem se vão alterar a legislação laboral.
08-03-2018
PSD defende mais Economia e melhor Emprego
    Emídio Guerreiro frisou que “este é o tempo de tomar decisões para o futuro”.
07-03-2018
“É imperioso resolver rapidamente os processos de integração dos verdadeiros precários”
    Álvaro Batista condenou que o problema da precariedade seja usado como agência de emprego para “jovens socialistas”.
14-02-2018
Crescimento Económico: com este governo Portugal cresce pouco
    Hugo Soares recordou que apesar da conjuntura externa extremamente favorável, dos 27 países da União Europeia, Portugal só está à frente de 7.
08-02-2018
“Com as esquerdas os transportes públicos têm andado uma lástima”
    Segundo Álvaro Batista as queixas dos passageiros “caem em cesto roto”.
08-02-2018
PSD criou as condições para que se gerasse mais emprego e se combatesse o desemprego
    Adão Silva apelou aos socialistas para resistirem “aos ataques de pacotilha dos parceiros da esquerda radical”.
Início Anterior Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas