Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Sandra Pereira acusa PCP e BE de apresentarem iniciativas que são “um logro para os trabalhadores”
No debate sobre precariedade laboral, a deputada afirmou que estes partidos estão a fazer uma “encenação política”.
No debate de várias iniciativas legislativas referentes à precariedade laboral e ao reforço dos direitos dos direitos dos trabalhadores, Sandra Pereira considerou que esta discussão não pode ser feita à margem da concertação social. “Este debate encerra uma causa tão maior para o nosso País que não pode viver aprisionado a conceitos ideológicos de partidos que vivem do protesto e da permanente tensão social. O PSD valoriza a concertação social como um espaço de diálogo e tranquilidade social, um espaço de cooperação e compromisso entre os parceiros sociais capaz de assegurar o progresso e o desenvolvimento”.
De seguida, a deputada lembrou que nesta sessão legislativa já vamos com inúmeros debates sobre este tema e já deram entrada um número sem conta de iniciativas legislativas todas elas com o objetivo de combater a precariedade, reforçar direitos e reverter a reforma laboral. Contudo, adianta a parlamentar, “o que se tem aqui passado é um logro, é um logro para o país, e é um logro para os trabalhadores, porque não há consequências. É só retórica. O que aqui se tem passado é uma encenação política, uma encenação política protagonizada pela competição oportunista entre o Bloco de Esquerda e o Partido Comunista que disputam o mesmo eleitorado e disputam a paternidade do tema”.
“São os partidos que sustentam o Governo que aqui vêm sistematicamente pressionar alterações à legislação laboral fazendo do parlamento a caixa de ressonância das posições conjuntas que negociaram, enquanto o Governo, esse Governo que apoiam, anda a lourear-se com os resultados obtidos com a descida do desemprego consequência da legislação laboral vigente que é fruto da reforma laboral que o anterior Governo do PSD/CDS corajosamente empreendeu. Reforma que o PS, sempre, sempre criticou, de forma leviana até, uma vez que constituía compromissos oriundos da aplicação do memorando de entendimento, aos quais o PS também estava obrigado. Mas, se por mais não fosse, constituía compromissos para assegurar a solvabilidade do País, a solvabilidade do país que o PS deixou em falência”.
Dirigindo-se às bancadas da esquerda, Sandra Pereira lembrou que o desemprego em Portugal iniciou uma trajetória descendente desde 2013. “A taxa de desemprego caiu de 17% em 2013, para os 11% em 2015. Entre 2014 e 2016 a população empregada aumentou em cerca de 176 mil trabalhadores. Em 2016 a população empregada representou 32% deste valor, o que significa que cerca de 70% do emprego criado nos últimos dois anos foi gerado até 2015. Relativamente à população desempregada decaímos no total 282 mil pessoas, sendo que em 2016 houve o contributo de 26% da baixa de desemprego, ou seja, o desemprego caiu quase 75% do total só entre 2014 e 2015. Quer isto dizer que foi no anterior governo que, quer a queda do desemprego, quer o aumento do emprego, se verificaram de forma mais acentuada. E quer isto dizer que tal se deve à Reforma Laboral”.
A terminar, Sandra Pereira desafiou o PS a anunciar qual vai sei a posição que vai assumir na votação.

12-06-2017 Partilhar Recomendar
09-05-2018
POISE: PSD exige explicações do Ministro do Trabalho sobre os atrasos nos reembolsos aos projetos beneficiários
    Cristóvão Crespo e Mercês Borges querem que esta situação seja “resolvida com rapidez”.
02-05-2018
Temos de estar todos empenhados no debate sobre as implicações da evolução tecnológica no mundo laboral
    Mercês Borges sublinhou a importância dos trabalhadores terem acesso a mais e melhores qualificações.
02-05-2018
PSD defende a atualização salarial da Função Pública em 2019
    Pedro Roque frisou que no presente momento económico e financeiro de Portugal, “é ilegítimo e injusto continuar a congelar os salários da Função Pública”.
22-03-2018
Com este governo assistimos a muitos anúncios e pouca concretização
    Nilza de Sena considera que essa concretização é crucial para que Portugal não continue a ter o quinto crescimento mais baixo da Europa.
22-03-2018
Crescimento económico: continuamos na cauda da União Europeia
    Paulo Neves confrontou a euforia dos socialistas com a realidade dos números.
14-03-2018
Legislação Laboral: as leis em vigor são boas
    Adão Silva questionou se ainda vamos ver o PCP na rua a gritar: “a luta continua, governo para a rua”.
14-03-2018
Legislação Laboral: Pedro Roque apela ao sentido de responsabilidade do PS
    O social-democrata alertou para os riscos de uma cedência dos socialistas à agenda da esquerda-radical.
14-03-2018
Susana Lamas: PCP insiste em reverter reformas e em permanecer no passado
    A deputada considera que os comunistas pretendem a retoma de legislação laboral que está obsoleta.
14-03-2018
“Governo não está a saber aproveitar a conjuntura favorável para preparar o futuro”
    Mercês Borges lamentou a apatia de um executivo que, além de não dar resposta às necessidades das empresas, deixa pairar a ameaça de uma revisão das leis laborais.
14-03-2018
Sandra Pereira: “o PCP cristalizou-se e parou no tempo”
    A deputada referiu-se à “inquietação” de um partido que defende uma coisa na rua e depois vota ao lado do governo.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas