Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Luís Montenegro acusa o Governo de viver “à custa da herança”
O líder parlamentar do PSD frisou que o executivo tem de colocar Portugal a crescer pelo menos o dobro do que crescemos no ano passado.
No primeiro debate quinzenal após a decisão da Comissão Europeia de recomendar a saída de Portugal do Procedimento por Défice Excessivo, Luís Montenegro começou por recordou que é a terceira vez que nos últimos 15 anos Portugal sai do procedimento por défice excessivo, enfatizando que isto “não é vida para um país”. Recordando a dureza das medidas que tiveram de ser adotadas desde 2010 para que esta saída acontecesse, o líder parlamentar do PSD sublinhou que agora importa não desbaratar o esforço feito.
“É preciso não desbaratar o esforço feito. E crescer muito mais do que em 2016, pelo menos o dobro do que crescemos no ano passado,” disse o social-democrata, felicitando o Governo por “ter dado continuidade a esse caminho de baixar o défice que vinha sendo percorrido desde 2011”.
De seguida, o “líder da bancada laranja” afirmou que o país tem de saber se o Primeiro-Ministro quer deixar de viver dos rendimentos da herança que recebeu, ou se quer acrescentar valor à sua passagem pelo governo para poder projetar o futuro. “Não se esqueça que recebeu um país a crescer, com défice a diminuir e muito, com o desemprego a baixar e tudo isso fruto de várias reformas estruturais feitas de 2011 a 2015. Para além disso, o senhor tem hoje uma conjuntura muito favorável, porque tem a Europa a recuperar economicamente, o preço do petróleo a baixar e vê uma procura turística como nunca tivemos”. Face a esta herança e conjuntura, Luís Montenegro insistiu na questão de saber se António Costa pretende continuar a viver à conta dessa herança e conjuntura, ou se quer aproveitar e projetar o país para um ciclo de crescimento verdadeiramente duradouro e sólido para as próximas décadas.
No que respeita à posição do PCP e do BE, que não festejam a saída de Portugal do procedimento por défice excessivo, o deputado afirmou que estes partidos estão já a projetar a melhor forma para desaproveitar o esforço que fizemos nos últimos anos.
A terminar, Luís Montenegro questionou a António Costa quando é que é finalizado o processo de venda do Novo Banco, em que ponto está o processo de concretização para os lesados do BES, onde está a solução para o crédito malparado e o que levou o governo a criar mais 3900 precários na administração pública.

23-05-2017 Partilhar Recomendar
19-10-2017
PSD apresenta iniciativa para reforçar a defesa da concorrência
    António Leitão Amaro afirmou que o Projeto de Lei dos sociais-democratas vai proteger os portugueses e contribuir para uma economia mais aberta e mais livre.
19-10-2017
Esquerda está ávida de receita fiscal para compensar os erros estratégicos que estão a ser cometidos
    Só desta forma, refere Carlos Silva, se pode compreender o regime sancionatório aplicável ao Crowdfunding apresentado pelo executivo.
20-09-2017
PSD apresenta propostas para reforçar a supervisão financeira e completar a União Bancária
    Maria Luís Albuquerque sublinhou a necessidade de alterações que conduzam à proteção dos contribuintes e a uma sustentada confiança no mercado e nas instituições.
18-09-2017
CETA significa a concretização de uma efetiva cooperação política e económica entre a União Europeia e o Canadá
    José Cesário reconheceu que este acordo implica grandes desafios para o nosso universo empresarial e laboral.
07-09-2017
"PS opta por se salvar em detrimento do desenvolvimento e do progresso de Portugal”
    Teresa Leal Coelho alerta para o que se está a passar com a Autoeuropa, sublinhando que serão os portugueses que irão pagar o preço da obsessão ideológica da esquerda radical legitimada pelo PS.
19-07-2017
António Leitão Amaro acusa PS, PCP e BE de fazerem um perdão à banca de 630 milhões de euros
    O Vice-Presidente da bancada do PSD alertou que quem paga são os contribuintes.
07-07-2017
“Este é o governo da instabilidade fiscal sobre as famílias e sobre a economia”
    Jorge Paulo Oliveira acusou o governo de estar constantemente a alterar impostos e benefícios fiscais.
07-07-2017
Luís Montenegro desafiou o Ministro das Finanças a dizer onde cortou mil milhões de euros e quais as consequências
    O líder parlamentar do PSD enfatizou que a austeridade manhosa colocou os serviços públicos à míngua.
07-07-2017
Cativações do governo levaram o Estado a falhar nas suas funções essenciais
    António Leitão Amaro afirmou que, contrariamente ao que era dito pela propaganda da esquerda, em 2016 o governo cativou mil milhões de euros.
06-07-2017
“O ano de 2015 foi marcado pela continuação da recuperação da atividade económica”
    No debate da Conta Geral do Estado de 2015, Cristóvão Crespo lamentou que esta trajetória não se tenha mantido em 2016.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas