Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
“Mais e melhor autonomia para as nossas escolas reforçará o sucesso educativo”
Emídio Guerreiro afirmou que só é contra a autonomia quem quer transformar as escolas em pequenas extensões da Fenprof e em pequenos feudos de poderes absolutos.
“O PSD quer mais poder para as escolas, para os professores e para os seus órgãos. Não para um sector em particular, mas para o conjunto que compõe a nossa escola pois é daí que advém a sua força. O PSD quer mais autonomia. Mas autonomia não é isolamento, não é sectarismo, é abertura. É com envolvimento de todos, a direção, os professores e as famílias que potenciamos a melhoria dos resultados escolares. Quem quer transformar as escolas em pequenas extensões da Fenprof, ficará desiludido e não gosta da nossa proposta. Quem quer, sob falso pretexto da democraticidade, tornar as escolas ingovernáveis e fechadas sobre si mesmas, ficará desiludido. Quem quer transformar as escolas em pequenos feudos de poderes absolutos não contará connosco. Mas quem acredita que a transparência, a coresponsabilização, a partilha, a colaboração e o equilíbrio de poderes são elementos que reforçam a democracia e a liderança sabe que este é o caminho certo. Mais e melhor autonomia para as nossas escolas reforçará o sucesso educativo”.
Foi com estas palavras que Emídio Guerreiro iniciou a sua intervenção, esta sexta-feira, no debate sobre a iniciativa do PSD que visa reforçar o poder dos órgãos de gestão das escolas.
De seguida, o deputado afirmou que no entender do PSD deve ser a escola, no seu projeto pedagógico, através dos seus órgãos, a estabelecer os critérios de constituição de turmas. “Nós acreditamos que quem está mais próximo dos alunos, que quem melhor conhece os alunos, a direção é os professores, saberão adotar os critérios mais ajustados ou adequados à promoção do sucesso. Se a esquerda radical desconfia dos professores, dos diretores e dos órgãos escolares, o PSD não”.
Segundo o social-democrata a esquerda radical prefere acreditar nos erros cometidos pelo atual ministro da educação. “Muita propaganda para disfarçar erros e opções ideológicas com resultados negativos. Desde logo o retorno ao facilitismo. Agora promovem-se as passagens administrativas e recusa-se a avaliação externa. Os senhores acabaram com os exames e inventaram provas de aferição em anos escolares sem paralelo nos países de referência. Em prol de uma reforma nominal, a reforma do Tiago, coloca-se em risco a comparabilidade dos resultados com os restantes países. Reverteram as medidas introduzidas e que nos colocaram em patamares nunca vistos em relatórios internacionais como o PISA bem como os que comparam os resultados do ensino da matemática e das ciências. Rejeitam as medidas tomadas no combate ao abandono escolar precoce e, pasme-se, pela primeira vez em mais de uma década, este voltou a aumentar em 2016. Prometem reduzir o número de alunos por turma, propagandeiam a medida, mas introduzem tantas restrições que teremos apenas cerca de 100 turmas em mais de 60 mil abrangidas pela medida propagandeada”.
No entender de Emídio Guerreiro, estes exemplos ilustram o que atualmente temos: “um ministro que governa para títulos de jornais. Um ministro campeão das não respostas e que há 8 meses se recusa a responder ao PSD sobre o número de turmas mistas este ano letivo. Mas educação é muito mais do que títulos de jornais. A educação é muito mais do que propaganda. A educação é muito mais do que esquemas e artimanhas políticas para manter equilíbrios de poder”.
A terminar, o social-democrata enfatizou que o diploma que o PSD apresenta não é o retrocesso saudosista a modelos do século passado. “O diploma que apresentamos é um passo em frente no caminho certo”, rematou.

05-05-2017 Partilhar Recomendar
15-12-2017
PSD defende a reabilitação e requalificação do edifício da Escola Secundária José Falcão, em Coimbra
    Margarida Mano recordou a urgência de uma intervenção de fundo neste histórico estabelecimento de ensino.
15-12-2017
Nilza de Sena acusa a esquerda de “atirar areia para os olhos dos professores”
    A deputada considera que PCP e BE pretendem criar uma “cortina de fumo” para ocultar o desastroso concurso de mobilidade interna.
13-12-2017
PSD é favorável ao descongelamento das carreiras e defende o princípio da equidade e justiça
    Amadeu Albergaria exigiu seriedade do governo na negociação que vai encetar com os professores.
07-12-2017
Refeições escolares: PSD exige que as crianças e os jovens tenham acesso a refeições equilibradas e de qualidade
    Germana Rocha lembrou que foi após o governo ter revisto os contratos que começaram a aparecer denúncias muito graves relativamente à falta de qualidade, quantidade e higiene das refeições escolares.
02-11-2017
Amadeu Albergaria: Orçamento representa um corte de 2,9% para a área da educação
    O Vice-Presidente da bancada do PSD acusou o Ministro da Educação de tentar enganar as escolas.
20-10-2017
PSD Recomenda ao Governo que adote medidas de reforço do apoio às crianças e jovens com cancro
    Proposta dos sociais-democratas abrange os domínios da Segurança Social e Trabalho, Saúde e Educação.
20-10-2017
PSD defende a adoção de medidas que visem a diminuição do peso das mochilas escolares
    Amadeu Albergaria saudou o consenso alcançado no Parlamento.
13-10-2017
“A educação sexual deve ser analisada numa perspetiva ampla do que é a formação cívica e social dos jovens portugueses”
    Margarida Balseiro Lopes criticou PS e BE por apresentarem propostas “desgarradas” e ignorarem os projetos educativos desenvolvidos pelos professores.
11-10-2017
Nilza de Sena: “os resultados das provas de aferição foram desastrosos”
    A deputada lamentou que o PS tenha apontado responsabilidades aos professores.
18-09-2017
Nilza de Sena alerta para o drama de milhares de professores do quadro que foram “desterrados e ultrapassados” devido a uma decisão injusta do governo
    A deputada sublinhou que esta situação deve-se à alteração ao concurso de docentes feita, sem aviso prévio, pelo executivo.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas