Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Governo das esquerdas já envolveu na banca mais de 10 mil milhões de euros dos contribuintes
António Leitão Amaro afirmou que este Tempo Novo das Esquerdas traz negócios ruinosos para os contribuintes, mas generoso para os bancos.
“Eu ainda sou do tempo em que as esquerdas gritavam contra mais dinheiro para a banca. Ainda sou do tempo em que António Costa, já Primeiro-Ministro, prometia não envolver mais dinheiro dos contribuintes para a banca e dizia que não dava garantias públicas na venda do Novo Banco. Ainda sou do tempo em que as esquerdas gritavam contra os salários altos dos banqueiros. Ainda sou do tempo em que a esquerda gritava contra o encerramento de balcões e mais despedimentos nos bancos. Mas também sou do tempo em que o governo do PSD e do CDS recapitalizavam bancos, vendo, por exemplo, BPI e BCP devolverem tudo ao Estado com juros muito altos e com cortes de 50% nos salários dos administradores dos bancos. Eu fui desse tempo, mas ele acabou.” Estas foram as palavras iniciais de António Leitão Amaro no debate relativamente a várias iniciativas referentes ao Novo Banco.
De seguida, o Vice-Presidente da bancada do PSD afirmou que neste tempo novo “o governo das esquerdas envolveu já, para os bancos, mais de 10 mil milhões de euros dos contribuintes, mais de mil euros por português”. “Neste novo tempo os salários dos administradores da Caixa triplicaram. Neste novo tempo o governo das esquerdas acordou mais encerramentos de balcões e mais gente mandada embora dos bancos. No tempo novo, aquela conversa fingida da restruturação da dívida, deu lugar a uma restruturação da dívida dos bancos em prejuízo dos contribuintes. No tempo novo privilegiam-se os bancos, dando-se-lhes créditos fiscais que se retiram às outras empresas. Afinal, este Tempo Novo das Esquerdas traz negócios maus e ruinosos para os contribuintes, mas generoso para os bancos”.
Em relação a este cenário, refere o deputado, que o PS que dizia que a venda do Novo Banco era um ruinoso e que havia que nacionalizar, agora está caladinho. “PCP e BE dão tiros de pólvora seca, mas continuam firmes no apoio parlamentar, certos no lugar da sua maioria apoiando as suas medidas. E o que é que fazem? Trazem a votos a paragem desta venda? Trazem a voto o perdão aos bancos? Não, em jeito de espantalho parlamentar, para distrair de dois maus negócios do Governo que apoiam, trazem iniciativas que mais custos ainda trazem”.
A terminar, António Leitão Amaro afirmou que os partidos da esquerda estão no tempo novo, na maioria parlamentar que penaliza os contribuintes e ajuda os bancos.

21-04-2017 Partilhar Recomendar
22-06-2018
Combustíveis: o governo mentiu aos portugueses
    Paulo Rios de Oliveira afirmou que o governo mentiu e “continua a mentir, pois não corrige esta grave e injusta situação”.
21-06-2018
PSD quer proteger os portugueses da falsidade do governo e do aumento do preço dos combustíveis
    António Leitão Amaro frisou que o PSD quer que seja devolvido o que foi cobrado a mais em ISP.
21-06-2018
Sara Madruga da Costa assinala “hipocrisia, cinismo e oportunismo” do BE
    Em causa “a súbita alteração de posição” dos bloquistas em relação ao ISP.
21-06-2018
Comunistas são cúmplices do aumento dos impostos sobre os combustíveis
    António Ventura recordou que o PCP inviabilizou as iniciativas que pretendiam travar os aumentos.
21-06-2018
PSD defende a redução do Imposto sobre os Produtos Petrolíferos
    Cristóvão Norte recordou que o governo não cumpriu a palavra dada e que a consequência são mais de 1000 milhões de euros a menos no bolso dos portugueses.
15-06-2018
“O ano de 2016 marca o início de um período de ilusionismo político protagonizado pela dupla Costa/Centeno”
    No debate da Conta Geral do Estado 2016, Cristóvão Crespo recordou que “Catarina e Jerónimo foram os partners convenientes e coniventes”.
15-06-2018
Lei de Enquadramento Orçamental: governo pouca ou nenhuma atenção deu a esta matéria
    Duarte Pacheco questionou ao executivo se pretende fugir a um maior controlo orçamental.
24-05-2018
Combustíveis: “são 1350 milhões a mais para o Governo e a menos no bolso dos cidadãos”
    Cristóvão Norte referiu que “este é o retrato fiel da austeridade dissimulada ao serviço de um governo glutão”.
17-05-2018
Revelação dos maiores devedores contribui para a transparência e responsabilidade política
    António Leitão Amaro considera incompreensível que o PS queira quebrar a privacidade do depositante que acumulou rendimentos de trabalho de 50 mil euros, mas queira proteger o decisor e o grande devedor de centenas de milhões.
17-05-2018
PSD quer levantar o véu sobre os favores prestados pela Caixa a projetos que não tinham nenhuma viabilidade
    Inês Domingos afirmou que o governo usa “portugueses depositantes e clientes cumpridores como escudo para encobrir os grandes incumpridores”.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas