Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
“As esquerdas não têm um projeto comum a olhar para o futuro de Portugal”
No debate sobre a “Reforma do Estado e Acesso aos Serviços Públicos”, Hugo Soares frisou que “o governo das esquerdas é o inimigo dos serviços públicos”.
“Quase ano e meio após o início da governação de PS, PCP e BE, é tempo de confrontar o Governo com a sua própria inação. Mais de um ano depois, Portugal já percebeu que tem um Governo sem visão de futuro. Eu diria mesmo um Governo de mera intendência. O País parou; e quando não está parado anda para trás. Chamamos, por isso, hoje o Governo ao Parlamento para perguntar: que reforma, que medida estrutural, que caminho apontam aos Portugueses? Que ideia de futuro tem o Governo?” Estas foram as palavras iniciais de Hugo Soares no debate, agendado pelo PSD, sobre a “Reforma do Estado e Acesso aos Serviços Públicos”.
De seguida, o Vice-Presidente da bancada do PSD criticou o imobilismo e incapacidade reformista deste governo, frisando que “em Portugal há aqueles que só querem voltar para trás, que só pensam na sua situação, na sua sobrevivência, que revertem a olhar para o passado e não têm projeto para o futuro”. Sublinhando que “as esquerdas não têm um projeto comum a olhar para o futuro de Portugal”, o deputado enfatizou que “as esquerdas, mais do que governar e reformar, mais do que explicar e fundamentar a ação governativa, se entretém a fazer oposição à oposição. É um Governo de entretém”.
Em sentido oposto, refere, há os que querem continuar a reformar o País. “A empreender, a transformar, a construir futuro e progresso. Aqueles que veem e pensam para além da espuma dos dias, aqueles que se recusam a baixar o nível do debate político, aqueles que não vivem de populismos estéreis e efémeros. Aqueles, que como o PSD, levam Portugal a sério”.
“O anterior Governo, ainda que atravessando uma das maiores, senão a maior crise financeira da nossa Democracia, lançou um conjunto de reformas que são alicerces da construção de uma sociedade mais justa e livre, mas sobretudo de um Estado mais transparente e amigo do cidadão. Nós quisemos um Estado que distinguia positivamente as famílias na cobrança de impostos: quociente familiar. Os senhores voltaram atrás. Nós quisemos um Estado que queria cobrar menos impostos às empresas e com isso criar mais riqueza e mais emprego: reforma do IRC. Os senhores: voltaram atrás. Nós quisemos um Estado onde as pessoas são escolhidas pelo mérito e pela sua capacidade: criação da CRESAP. Os senhores querem voltar atrás. Nós quisemos um Estado onde a exigência, o rigor e as competências visavam distinguir a escola pública. Os senhores: voltaram atrás. Nós quisemos um Estado que pagava a tempo e horas e honrava os seus compromissos. Os senhores voltaram atrás. Em suma, este é um Governo retrógrado, incapaz de construir em cima do que foi feito. É um Governo que sem qualquer avaliação, apenas numa lógica revanchista, tem apenas um objetivo: desfazer as reformas que foram feitas”.
Depois de afirmar que quando não se reforma o Estado e a administração quem perde são os cidadãos, Hugo Soares declarou que esta inação resulta em serviços públicos que atingem o grau de degradação a que assistimos e que é por isso que o acesso aos mais elementares serviços públicos está pior. “Ironia suprema da retórica política, o governo das esquerdas é o inimigo dos serviços públicos. Verdade, das verdades: hoje a escola pública está pior; hoje o serviço nacional de saúde está pior; hoje os transportes públicos estão piores. Hoje, a segurança pública está pior. Os serviços estão piores e custam mais aos portugueses. E esse é o preço da falta de uma visão reformista deste Governo”.
A terminar, Hugo Soares acusou o PS, BE e PCP de “querem uma administração ao serviço da sua sobrevivência política”.
23-02-2017 Partilhar Recomendar
26-04-2017
Passos Coelho acusa o PS de lidar mal com entidades independentes
    O líder do PSD recordou a velha máxima socialista de que “quem se mete com o PS leva”.
23-02-2017
“No último ano assistimos a uma evidente degradação na prestação de serviços públicos”
    Segundo Luís Marques Guedes “degradação” é a palavra de ordem da esquerda na gestão dos serviços públicos.
23-02-2017
Se o governo continuar com estas políticas a sustentabilidade do SNS não estará assegurada
    Luís Vales acusou comunistas e bloquistas de agora não estarem preocupados com os trabalhadores com pagamentos em atraso.
23-02-2017
Descentralização: o PSD foi o único partido que apresentou propostas no Parlamento
    Berta Cabral lamentou o atraso do governo na apresentação das suas iniciativas.
23-02-2017
Abandono escolar precoce aumentou pela primeira vez em mais de 10 anos
    Amadeu Albergaria considera que a incompetência do Ministro da Educação é trágica para o nosso futuro coletivo.
15-12-2016
Carla Barros lembra o “cadastro” do PS em matéria de mobilidade dos trabalhadores
    A deputada afirmou que o PSD defende um modelo assente em três aspetos: valorização e dignidade do trabalhador, um serviço público de elevada qualidade e o seu custo para os portugueses.
12-10-2016
PSD alerta para “rutura dos serviços públicos e paralisação do Estado social”
    António Leitão Amaro considera esta é mais uma fatura da desastrosa governação das esquerdas.
23-09-2016
Iniciativas para revogar o regime de requalificação são insensatas e oportunistas
    Carla Barros lembra que este é um instrumento fundamental na gestão estratégica de recursos humanos da Administração Pública.
16-06-2016
Alterações do Governo à Chave Móvel Digital são “curiosas, interessantes e bizarras”
    Paulo Rios de Oliveira manifestou a disponibilidade do PSD para, em sede de comissão, analisar estas alterações e as previstas para o cartão de cidadão.
06-05-2016
PSD propõe redução do número de deputados
    Os sociais-democratas entregaram três Projetos de Lei para reforçar a transparência no exercício de funções públicas e políticas.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas