Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Rubina Berardo considera essencial o contínuo fortalecimento internacional da regulação financeira
A deputada salientou a importância de um enquadramento claro, robusto e harmonizado das medidas sancionatórias aplicáveis.
“O sistema financeiro existe para servir a economia real. Esse é um pressuposto elementar que, lamentavelmente, nem sempre foi respeitado ao longo dos anos, tal como demasiados escândalos e polémicas em torno dos mercados financeiros o evidenciaram”. Estas foram as palavras iniciais de Rubina Berardo no debate da Proposta de Lei do Governo que revê o regime sancionatório do direito dos valores mobiliários.
Segundo a deputada, para além das crises além-fronteiras, também nós contribuintes portugueses conhecemos demasiado bem as consequências dessa inversão da relação entre sistema financeiro e economia real, tal como as comissões de inquérito do passado conseguiram apurar, basta recordar o caso dos lesados do Banif.
Tendo em conta esse cenário, adianta, “o PSD defende que reestabelecer a tão necessária confiança nos mercados financeiros assenta na promoção de uma economia real, aberta, transparente, eficiente e sustentável. Ambicionar um mercado de capitais nacional mais dinâmico implica não só dar os estímulos corretos ao crescimento da economia real subjacente, mas também incutir claras regras de transparência e consequência aos mercados financeiros”.
Para tal, refere a deputada, é essencial o contínuo fortalecimento internacional da regulação financeira, um longo processo que nasceu precisamente das duras lições retiradas dos escândalos financeiros do passado.
Frisando que o PSD acompanha a necessidade premente desta Proposta, Rubina Berardo referiu que esta revisão do regime sancionatório dos valores mobiliários visa garantir que, em casos de abuso de informação privilegiada e manipulação de mercados, e em caso de uso de informação falsa na captação de investimento, haja um enquadramento claro, robusto e harmonizado a nível comunitário para as medidas sancionatórias aplicáveis. “O PSD defende que somente uma regulação plenamente harmonizada neste domínio permitirá ao mercado de capitais nacional agir em condições equitativas a nível comunitário. Medidas sancionatórias harmonizadas são assim fundamentais para uma política de zero tolerância para os manipuladores de mercado, que distorcem o princípio fundador de serviço à economia real”.
Com estas medidas, conclui a deputada, os mercados de capitais, bem como a própria confiança no sistema judicial, saem fortalecidos, ao invés de fragmentados por molduras penais divergentes dentro da União Europeia.
17-02-2017 Partilhar Recomendar
23-06-2017
PSD alerta para o atraso na transposição das diretivas do Parlamento Europeu
    Inês Domingos exige ao governo que comece a transpor de forma atempada as Diretivas que são fundamentais para a vida dos portugueses.
23-06-2017
BES: governo evitou o apuramento das responsabilidades
    Duarte Pacheco acusou ainda o executivo de estar a abrir “uma caixa de pandora para que os contribuintes paguem negócios ruinosos”.
23-06-2017
Jorge Paulo Oliveira coloca em causa a coerência do Bloco de Esquerda
    O deputado considera que os bloquistas estão a defender um “capitalismo de aviário”.
23-06-2017
Solução para lesados do BES: governo coloca portugueses contra portugueses
    Carlos Silva acusou a geringonça de estar a “ilibar vigaristas que venderam banha da cobra aos clientes bancários”.
21-04-2017
Governo das esquerdas já envolveu na banca mais de 10 mil milhões de euros dos contribuintes
    António Leitão Amaro afirmou que este Tempo Novo das Esquerdas traz negócios ruinosos para os contribuintes, mas generoso para os bancos.
05-04-2017
Venda do Novo Banco: Bloco, PCP, PS e Governo são responsáveis pelo mau negócio
    António Leitão Amaro alertou ainda para as consequências do perdão de dívida que o governo das esquerdas fez aos bancos à custa de todos os contribuintes.
22-03-2017
CGD: Luís Montenegro denuncia “privatização geringonçada”
    No debate quinzenal, o social-democrata questionou o Primeiro-Ministro sobre o encerramento dos balcões da Caixa e sobre a reforma curricular anunciada pelo Secretário de Estado da Educação.
09-03-2017
Ministro das Finanças defende a subordinação política dos reguladores e supervisores ao governo
    Duarte Pacheco considerou que isto é “inaceitável” e “altamente preocupante para o Estado democrático”.
09-03-2017
“Dirigentes do PS têm estado em manobras de intimidação dos fiscalizadores, reguladores e supervisores”
    Carlos Abreu Amorim frisou que estas entidades têm de ser independentes em relação aos regulados, mas também perante o poder político.
09-03-2017
A independência das instituições e da supervisão bancária está em risco
    António Leitão Amaro recordou vários episódios de ataques à independência das instituições e dos reguladores.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas