Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Luís Montenegro considera que a gestão da dívida feita pelo Governo “é um desastre”
O líder parlamentar do PSD acusou ainda o Ministro das Finanças de ter mentido sobre demissão de António Domingues.
Após assistir ao Primeiro-Ministro a anunciar pela terceira vez as mesmas medidas, Luís Montenegro foi perentório em afirmar que “a escola Sócrates voltou”. “O senhor vem hoje, pela terceira vez, anunciar os mesmos programas, as mesmas medidas, sempre com um embrulho um bocadinho diferente para parecer que é novo, mas no fundo a confessar que perdemos um ano e que estamos hoje exatamente no mesmo ponto em que estávamos há um ano. É o regresso dos programinhas, dos PowerPoints, é o regresso da fantasia”, afirmou o líder parlamentar do PSD no início da sua intervenção no debate quinzenal.
De seguida, o social-democrata focou a sua intervenção nos números do abandono escolar precoce. Segundo o social-democrata 2016 “foi o primeiro ano desde 2010 em que o abandono escolar cresceu. Desde 2011 o abandono escolar decresceu todos os anos. Já se interrogou o que é que terá acontecido em 2016? Será que isto não tem nada a ver com o desinvestimento que o Governo fez no ensino profissional? Será que isto não tem nada a ver com as reversões das reformas que foram introduzidas no sistema de educação”, questionou o deputado.
O segundo tema levado por Montenegro a debate foi o da competitividade e financiamento da nossa economia. Recorda o líder da “bancada laranja” que Portugal foi hoje ao mercado e fez “uma emissão de dívida de 630 milhões de euros a 5 anos. Em agosto pagámos 1,8% de juros para uma emissão de dívida semelhante, hoje pagámos 2,75%, um acréscimo de mais 47% do custo do juro. A 7 anos colocámos 550 milhões de euros, em junho pagámos 1,84%, hoje pagámos 3,67%, o dobro. Isto quer dizer que estamos a substituir dívida antiga por dívida nova, sendo que a nova é mais cara. Isto quer dizer que a trajetória que vínhamos percorrendo de diminuição das nossas taxas de juro se inverteu. Isto quer dizer dificuldades para o financiamento das empresas, isto quer dizer dificuldades para o financiamento do Estado, isto quer dizer que há um preço a pagar por causa da sua política económica”.
Dirigindo-se a António Costa, o social-democrata foi claro em afirmar que “a gestão da dívida do seu Governo é um desastre e tem de acordar para este problema porque isto lhe vai rebentar nas mãos”.
A terminar, Luís Montenegro desafiou o Primeiro-Ministro a esclarecer se sabia ou não do acordo entre Mário Centeno e António Domingues. Segundo o parlamentar as “notícias que vieram hoje a público demonstram que o Ministro das Finanças mentiu sobre o processo”. O líder da bancada parlamentar do PSD recordou uma intervenção de António Costa, em pleno debate quinzenal, onde o Primeiro-Ministro considerou a demissão de António Domingues “estranha”. Então, atirou Montenegro, o Primeiro-Ministro “não estranha que o Ministro das Finanças tenha ocultado o teor da correspondência que trocou com o anterior Presidente da Caixa? Ou afinal o senhor Primeiro-Ministro sabia?”, questionou.

08-02-2017 Partilhar Recomendar
Luís Montenegro questiona o Primeiro-Ministro no debate quinzenal
Luís Montenegro questiona o Primeiro-Ministro no debate quinzenal
19-07-2017
António Leitão Amaro acusa PS, PCP e BE de fazerem um perdão à banca de 630 milhões de euros
    O Vice-Presidente da bancada do PSD alertou que quem paga são os contribuintes.
07-07-2017
“Este é o governo da instabilidade fiscal sobre as famílias e sobre a economia”
    Jorge Paulo Oliveira acusou o governo de estar constantemente a alterar impostos e benefícios fiscais.
07-07-2017
Luís Montenegro desafiou o Ministro das Finanças a dizer onde cortou mil milhões de euros e quais as consequências
    O líder parlamentar do PSD enfatizou que a austeridade manhosa colocou os serviços públicos à míngua.
07-07-2017
Cativações do governo levaram o Estado a falhar nas suas funções essenciais
    António Leitão Amaro afirmou que, contrariamente ao que era dito pela propaganda da esquerda, em 2016 o governo cativou mil milhões de euros.
06-07-2017
“O ano de 2015 foi marcado pela continuação da recuperação da atividade económica”
    No debate da Conta Geral do Estado de 2015, Cristóvão Crespo lamentou que esta trajetória não se tenha mantido em 2016.
23-06-2017
Solução para lesados do BES: governo coloca portugueses contra portugueses
    Carlos Silva acusou a geringonça de estar a “ilibar vigaristas que venderam banha da cobra aos clientes bancários”.
23-06-2017
José Silvano levanta dúvidas em relação ao Projeto de Lei que visa aprovar o regime de regularização de cidadãos estrangeiros indocumentados
    O deputado afirmou que é preciso analisar mais esta matéria para que não se corram riscos.
23-06-2017
Governo liderado pelo PSD foi incansável em criar mecanismos alternativos ao regime jurídico da insolvência
    A garantia foi deixada por Joel Sá no Plenário.
12-06-2017
Governo atua fora da lei e desrespeita as instituições
    A acusação foi deixada por Duarte Pacheco no Plenário.
12-06-2017
António Leitão Amaro: “o Primeiro-Ministro faltou à verdade ao Parlamento”
    O deputado considera que a retirada de 3 territórios da lista negra de Offshores foi conduzida pelo governo de uma forma que “só levanta e agrava a suspeita”.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas