Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Deputados do PSD questionam Ministro da Agricultura
Foram 10 os deputados do PSD que pediram esclarecimentos ao Ministro durante a discussão do Orçamento para o sector

Costa Neves anunciou, quinta-feira, que o PSD vai apresentar um Projecto de Resolução com vista à simplificação dos mecanismos de acesso ao PRODER. Durante a discussão na especialidade do Orçamento do Estado para o Ministério da Agricultura e Pescas, o deputado do PSD referiu que vê “com preocupação alguns sinais dados por este Orçamento”. Segundo o Vice-Presidente do Grupo Parlamentar do PSD, a dotação financeira que foi atribuída “está abaixo dos mínimos” e, na sua opinião, “isso é um mau sinal quando se precisava de um bom sinal”.

Costa Neves referiu que para o PSD existem quatro pressupostos: a agricultura importa; a necessidade de resolver os problemas dos últimos quatro anos de Governação neste sector; a revisão do PRODER; e, entusiasmar os agricultores - e quis saber se o Ministro da Agricultura concorda com estes pressupostos.

O PRODER fez também parte da intervenção de Luís Capoulas. O deputado do PSD assegura que “a única forma de recuperar o atraso [dos últimos quatro anos de governação] é com uma alteração estrutural do PRODER”. O deputado questionou o Ministro para saber se este não “entende que devia começar-se desde já a pensar numa revolução profunda do PRODER”. O social-democrata recordou que houve uma redução dos níveis de apoio às explorações agrícolas e afirmou que “não se compreende que haja uma discriminação dos pequenos investimentos” pois, na sua opinião, o Governo ao fazê-lo, “está a discriminar os pequenos agricultores”.

Ulisses Pereira foi o interveniente que se seguiu e centrou a sua intervenção no sector das pescas. O deputado referiu que os valores do PROMAR executados “são baixos e alguns eram de 0% de execução em 30 de Novembro último”. O social-democrata sugeriu ao Ministro a utilização de “verbas do PROMAR, no âmbito dos mecanismos das paragens temporárias, para ressarcir os armadores e pescadores cujas embarcações foram agora sujeitas a uma redução de actividade”. Ulisses Pereira recordou que “mais de 100 embarcações vão ter que morrer no cais, perdendo-se um número de empregos que não é inferior, por exemplo, ao da Autoeuropa”.

Seguiu-se Carla Barros que começou por sugerir que se termine “com esta gestão de recursos humanos dos organismos e serviços afectos ao Ministério da Agricultura, que resumidamente se caracteriza por uma gestão mercantilista e insustentável” apelidando também o PRACE não como a “mãe de todas as reformas”, mas “o pai de todos os problemas”. Para a social-democrata, o panorama geral é o seguinte: gastos com pessoal que não produz, encerramentos dos serviços de proximidade aos agricultores, atrasos incalculáveis no controlo às exportações agrícolas, atrasos incalculáveis no pagamento das ajudas aos agricultores, encerramento de tantas e tantas explorações que, não obtendo essas ajudas, não conseguem sobreviver, e utilização de empresas de segurança externa e empresas de trabalho temporário.

A deputada mostrou ainda a sua preocupação com os jovens agricultores. Carla Barros questionou o Ministro sobre onde estaria espelhado no OE2010 a vontade socialista em inverter uma situação em que Portugal tem apenas 2,5% dos Agricultores Jovens contra os 5,3% da média da EU.

Por outro lado, António Cabeleira fez referência a duas questões. O deputado mostrou-se preocupado com a política florestal e referiu ser “dramático o abandono a que o potencial florestal do país está votado”, acrescentando que “Portugal não aproveita os seus recursos”. Segundo o deputado “a taxa de execução das medidas florestais é de 0%” e interrogou o Ministro sobre de que forma pretende recuperar este atraso. A outra questão de António Cabeleira diz respeito ao nemátodo do pinheiro. O deputado considera um “insucesso” o combate que o Governo tem feito a esta doença e recordou que o resultado foi que ela se "alastrou a todo o pinhal português". O deputado afirmou que “muito pouco tem sido feito” e quis saber se a redução da verba inscrita no Orçamento significa que o Governo deixou de combater este problema.

Na bancada do PSD, seguiu-se a intervenção da deputada Teresa Santos. A deputada lembrou que “segundo os dados do INE os rendimentos dos agricultores têm vindo a descer desde 2005”. Preocupada com esta situação, a social-democrata propôs que o custo da energia utilizada na produção agrícola e pecuária fosse reduzido. Segundo Teresa Santos, trata-se de “uma medida limitada no tempo” e que seria extremamente positiva e aliviadora das dificuldades dos agricultores.

Fernando Marques utilizou também a palavra para falar da Rede Natura 2000. O deputado lembrou que este projecto tinha o objectivo de assegurar a biodiversidade através da conservação da fauna e da flora e que previa medidas compensatórias para os agricultores afectados pelas suas limitações. Como até ao momento não houve nenhuma compensação, Fernando Marques perguntou ao Ministro se este está empenhado em aplicar estas compensações.

Paulo Baptista Santos foi orador que se seguiu. O social-democrata afirmou que “é importante que na agricultura se passe do discurso às acções”. O deputado congratulou-se pela vinda do Ministro à Comissão, já que no dia anterior tinha anunciado várias medidas para o sector: “desejo que venha cá varias vezes à nossa comissão para que possa apressar todos esses grupos de trabalho que tem desenvolvido”, ironizou.

Nos dois minutos a que teve direito para a sua intervenção, Cristóvão Crespo questionou o Ministro sobre o objectivo de um conjunto de notificações que estão a ser enviadas aos agricultores, relativas ao IFAP, em que é dito que o não cumprimento pode conduzir à exclusão das suas candidaturas.

A terminar as intervenções do PSD, Pedro Lynce acusou o anterior Ministro de tudo ter feito “para acabar com a agricultura”. O deputado do PSD pediu ao actual titular da pasta da agricultura para que mostre a sua solidariedade e respeito para com os trabalhadores do Ministério que têm sido apontados como a causa de todos os problemas.

19-02-2010 Partilhar Recomendar
Carlos Costa Neves questiona Ministro da Agricultura e Pescas sobre o Orçamento do Estado para 2010
Luís Capoulas questiona Ministro da Agricultura sobre o PRODER
Ulisses Pereira questiona Ministro da Agricultura sobre o PROMAR
Carla Barros questiona Ministro da Agricultura e Pescas sobre o Orçamento do Estado para 2010
António Cabeleira questionou Ministro da Agricultura sobre a política florestal
Teresa Santos propõe medida temporária para que energia utilizada na actividade agrícola e pecuária seja reduzida
Fernando Marques questiona Ministro da Agricultura sobre a Rede Natura 2000
Paulo Batista Santos assinala iniciativas do Ministro da Agricultura na véspera da ida ao Parlamento
Paulo Batista Santos denuncia fraca execução do PRODER
Cristóvão Crespo questiona Ministro da Agricultura sobre notificações enviadas pelo IFAP aos agricultores
Pedro Lynce questiona Ministro da Agricultura sobre as opções do Governo para os recursos humanos do Ministério
12-06-2019
Nuno Serra: “a Produção Agrícola e o Ambiente só podem viver juntos”
    O social-democrata criticou “a visão distorcida e radical” dos partidos mais à esquerda.
12-06-2019
“Os empresários agrícolas dão um enorme contributo para a coesão territorial e crescimento económico do país”
    António Lima Costa rejeitou liminarmente a ideia de “diabolização daqueles que são os únicos que investem e apostam no nosso mundo rural”.
29-05-2019
Nuno Serra critica “interesses populistas e demagógicos” de BE e PAN
    O deputado considera que esta visão impede estes partidos de compreenderem a importância da atividade cinegética.
11-04-2019
Proibição da venda de frutas e legumes acondicionados em cuvetes que contenham plástico ou poliestireno trará custos para os produtores agrícolas
    António Lima Costa manifestou a preocupação dos sociais-democratas com esta situação.
10-04-2019
Seca: Cristóvão Crespo contesta “falta de visão a longo prazo dos responsáveis governamentais”
    O parlamentar considera que até ao pretenso plano nacional de regadio falta uma perspetiva estratégica e integrada.
15-02-2019
“O PSD está e estará sempre do lado dos produtores agrícolas nacionais”
    Nuno Serra manifestou a indisponibilidade dos sociais-democratas para criar mais entraves à produção, ao escoamento e à comercialização dos nossos produtos agrícolas.
07-02-2019
Podem contar com o PSD para defender políticas de alimentação equilibradas e saudáveis
    Em sentido oposto, adiantou Pedro do Ó Ramos, não contem com os sociais-democratas para limitar os direitos e liberdades dos cidadãos.
24-01-2019
Cristóvão Crespo e José de Matos Rosa preocupados com o corte e roubo de sobreiros e cortiça em Ponte de Sor
    Os sociais-democratas questionaram os Ministros da Administração Interna e da Agricultura sobre esta situação.
17-01-2019
“Portugal deve muito ao sistema produtivo pecuário”
    António Ventura afirmou que este setor contribui para criar empregos, para fixar pessoas e para combater o envelhecimento de muitas zonas de Portugal.
16-01-2019
“É urgente desenvolver uma estratégia para a política agrícola nacional”
    Nuno Serra lamenta “o desprezo e a falta de visão estratégica” do atual governo para com o setor agrícola.
Início Anterior Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas