Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
OPINIÃO / Crise Social vs Orçamento de Estado
Poderia começar este artigo pelo orçamento, contudo, vou colocar a tónica na crise social que se arrasta. Aconteceu há dias, entre uma utente e uma assistente social de um dos Centros de Saúde do Algarve – na verdade poderia ter acontecido em qualquer parte do país.

Perante a falta de dinheiro e a falta de trabalho, uma mulher, doente asmática, com um princípio de pneumonia, em dia de chuva dirigiu-se ao Serviço Social do Centro de Saúde pedindo ajuda para a aquisição de medicamentos. Impotente, perante esta e dezenas de situações diárias, a assistente social, em desespero, disse à utente que fosse “fazer o que fazia antes”. Assistindo, uma velhinha quis dar vinte euros à mulher a qual ficou relutante em aceita-los, pois a velhinha também precisava daquele dinheiro. A assistente social insistiu com a sua utente para que aceitasse anuindo que “coisas destas não acontecem todos os dias”.

No desempenho da minha actividade profissional com toxicodependentes e muitos “sem-abrigo”, vi de perto o trabalho das assistentes sociais, muitas vezes capazes de «fazer omeletas sem ovos». Sei como é, desesperante, cada uma destas situações. São pessoas, famílias inteiras com carências inimagináveis. A impotência das assistentes perante os casos sociais aumenta. De ano para ano as verbas são reduzidas, há cada vez menos dinheiro para as situações de risco e no entanto o número de casos aumenta.

Pergunta o contribuinte – “e o Orçamento de Estado para o qual eu contribuo?”- está mal gerido! - É um orçamento que está mais preocupado com o chamado TGV, com o foro a grandes grupos económico, à banca e a grandes empreiteiros, em favorecer a criação de centrais de compras que privilegiam certas empresas de certos amigos, ao mesmo tempo que penaliza as pequenas e médias empresas locais, penaliza as famílias e descarrega todo o esforço de apoio social nas autarquias e na solidariedade do próximo. Perante a falência do sistema de apoio social do Estado, pergunto: - por quanto tempo vão as Câmaras Municipais, as IPSS e os Centros Paroquiais suportar a situação? – Um, dois anos? – E em 2011 e 2012 quando acabarem os subsídios de desemprego quem vai suportar a crise socioeconómica no seu auge? Por quanto tempo haverá velhinhas solidárias com o sofrimento dos outros? – É isto que o Governo quer para o país? – Portugueses, pobres, miseráveis e solidários uns com os outros, enquanto alguns se enchem às nossas custas para depois investir no estrangeiro? – É já este o país que temos hoje.

Enquanto se passava a cena no Centro de Saúde, o país televisivo preocupava-se com as finanças regionais e comparava os montantes cedidos à Madeira, aos Açores, a Trás-os-Montes e ao Alentejo – mas como comparar o que não é comparável?! – “Regiões”, Portugal tem duas, os Açores e a Madeira. O resto é a divisão administrativa do continente retalhado a 18 distritos, depauperados, sem investimento digno de progresso e sem que este seja, verdadeiramente, dirigido aos portugueses. Nesta matéria o distrito de Faro tem muito que se lhe diga pois nos últimos 5 anos foi o mais penalizado de todos. Na prática este foi o orçamento apresentado – só agrava a situação existente.

19-02-2010 Partilhar Recomendar
08-02-2019
“Participação dos cidadãos no processo de decisão em saúde é fundamental para se alcançarem decisões justas, equilibradas e transparentes”
    Essa preocupação, adianta Isaura Pedro, está refletida na Lei de Bases da Saúde que o PSD apresentou.
08-02-2019
“Requisição civil decretada simboliza a falência da capacidade negocial de um governo em desespero”
    Ângela Guerra apelou ao governo para que “emende a mão” e deixe de tentar “virar portugueses contra portugueses”.
08-02-2019
Hospital do Senhor do Bonfim é o espelho do “exagero, irresponsabilidade e irracionalidade” da governação socialista
    Simão Ribeiro colocou em evidência “a diferença abissal” entre as promessas socialistas e a realidade.
08-02-2019
Nacional 125: apesar dos anúncios e promessas do Ministro Pedro Marques, obra continua por fazer
    Cristóvão Norte recordou que o Ministro “anunciou as obras em 2016, insistiu em 2017 e jurou em 2018.”
06-02-2019
“Aguardar 1000 dias por uma consulta é fortalecer o SNS?”
    No debate quinzenal com o Primeiro-Ministro, Fernando Negrão lamentou que António Costa não “sinta vergonha de ter feito parte do governo que deixou o país em bancarrota”.
01-02-2019
Transporte não urgente de doentes: PSD defende um regime justo, equilibrado e que respeite as necessidades dos utentes
    Ana Oliveira teceu críticas às iniciativas apresentadas pelo BE, PEV e PCP.
01-02-2019
PSD apoia a criação de um Registo Nacional de Esclerose Múltipla
    José António Silva elencou as mais-valias da criação deste registo.
31-01-2019
Funções dos Técnicos Auxiliares de Saúde justificam a existência de uma carreira própria
    Miguel Santos afirmou que a reintegração destes profissionais nas carreiras especiais da saúde não pode continuar a ser adiada pelo governo.
31-01-2019
Luís Vales louva esforço que o SNS tem realizado na procura das melhores respostas às necessidades dos doentes oncológicos
    O deputado enalteceu a abnegação e a elevada competência dos profissionais de saúde que se dedicam a esses doentes.
31-01-2019
PSD defende o reforço dos Cuidados Paliativos
    Ricardo Baptista Leite apresentou o Projeto de Resolução do PSD.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas