Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
OPINIÃO / Crise Social vs Orçamento de Estado
Poderia começar este artigo pelo orçamento, contudo, vou colocar a tónica na crise social que se arrasta. Aconteceu há dias, entre uma utente e uma assistente social de um dos Centros de Saúde do Algarve – na verdade poderia ter acontecido em qualquer parte do país.

Perante a falta de dinheiro e a falta de trabalho, uma mulher, doente asmática, com um princípio de pneumonia, em dia de chuva dirigiu-se ao Serviço Social do Centro de Saúde pedindo ajuda para a aquisição de medicamentos. Impotente, perante esta e dezenas de situações diárias, a assistente social, em desespero, disse à utente que fosse “fazer o que fazia antes”. Assistindo, uma velhinha quis dar vinte euros à mulher a qual ficou relutante em aceita-los, pois a velhinha também precisava daquele dinheiro. A assistente social insistiu com a sua utente para que aceitasse anuindo que “coisas destas não acontecem todos os dias”.

No desempenho da minha actividade profissional com toxicodependentes e muitos “sem-abrigo”, vi de perto o trabalho das assistentes sociais, muitas vezes capazes de «fazer omeletas sem ovos». Sei como é, desesperante, cada uma destas situações. São pessoas, famílias inteiras com carências inimagináveis. A impotência das assistentes perante os casos sociais aumenta. De ano para ano as verbas são reduzidas, há cada vez menos dinheiro para as situações de risco e no entanto o número de casos aumenta.

Pergunta o contribuinte – “e o Orçamento de Estado para o qual eu contribuo?”- está mal gerido! - É um orçamento que está mais preocupado com o chamado TGV, com o foro a grandes grupos económico, à banca e a grandes empreiteiros, em favorecer a criação de centrais de compras que privilegiam certas empresas de certos amigos, ao mesmo tempo que penaliza as pequenas e médias empresas locais, penaliza as famílias e descarrega todo o esforço de apoio social nas autarquias e na solidariedade do próximo. Perante a falência do sistema de apoio social do Estado, pergunto: - por quanto tempo vão as Câmaras Municipais, as IPSS e os Centros Paroquiais suportar a situação? – Um, dois anos? – E em 2011 e 2012 quando acabarem os subsídios de desemprego quem vai suportar a crise socioeconómica no seu auge? Por quanto tempo haverá velhinhas solidárias com o sofrimento dos outros? – É isto que o Governo quer para o país? – Portugueses, pobres, miseráveis e solidários uns com os outros, enquanto alguns se enchem às nossas custas para depois investir no estrangeiro? – É já este o país que temos hoje.

Enquanto se passava a cena no Centro de Saúde, o país televisivo preocupava-se com as finanças regionais e comparava os montantes cedidos à Madeira, aos Açores, a Trás-os-Montes e ao Alentejo – mas como comparar o que não é comparável?! – “Regiões”, Portugal tem duas, os Açores e a Madeira. O resto é a divisão administrativa do continente retalhado a 18 distritos, depauperados, sem investimento digno de progresso e sem que este seja, verdadeiramente, dirigido aos portugueses. Nesta matéria o distrito de Faro tem muito que se lhe diga pois nos últimos 5 anos foi o mais penalizado de todos. Na prática este foi o orçamento apresentado – só agrava a situação existente.

19-02-2010 Partilhar Recomendar
17-04-2019
Deputados do PSD questionam o governo sobre as condições no Hospital de Cantanhede
    Os parlamentares reclamam “melhores condições e meios” para o Hospital Arcebispo João Crisóstomo.
12-04-2019
Centros de Responsabilidade Integrada: governo nada fez nos últimos quatro anos
    Luís Vales defendeu um futuro em que os Centros de Responsabilidade Integrada sejam efetivamente disseminados nos hospitais do SNS como um novo modelo de gestão potenciador de mais valor em saúde.
12-04-2019
“Governo parece cada vez mais desejar o confronto com os profissionais de saúde”
    Ângela Guerra enfatizou que o PSD não pactua com esta visão do governo “que desconsidera os profissionais de saúde”.
28-03-2019
Portugal não tem um Ministério da Saúde, tem um “Ministério da Doença”
    Segundo José de Matos Rosa o governo e os partidos da esquerda estão “a pôr em causa o Serviço Nacional de Saúde”.
28-03-2019
Sara Madruga da Costa desafia o governo a seguir “o bom exemplo da Madeira”
    Em causa o descongelamento das carreiras dos enfermeiros e dos professores.
28-03-2019
Farmácias hospitalares encontram-se numa situação dramática
    Ana Oliveira fala numa rutura de serviços e falta de profissionais.
28-03-2019
Inação e inoperância do governo colocam em causa a sustentabilidade da ADSE
    Simão Ribeiro recordou o alerta deixado pelo Conselho de Supervisão da ADSE sobre a necessidade de se alargar o número de beneficiários.
28-03-2019
“Resta aos portugueses esperar pelas eleições e dar lugar a um governo competente”
    No debate sobre Saúde, Luís Vales colocou em evidência o fracasso do executivo na política do medicamento.
28-03-2019
Médico de família para todos: mais uma promessa que o governo não vai cumprir
    Ricardo Baptista Leite lembrou que há mais de meio milhão de portugueses sem médico de família.
15-03-2019
Carreira de Técnico Auxiliar de Saúde: PS criou o problema e insiste em não o corrigir
    Miguel Santos entende que o governo está contra os legítimos direitos desses profissionais.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas