Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Miguel Frasquilho acusa o Governo de fazer “uma marosca”
Deputado do PSD refere-se às alterações na forma de contabilização das contribuições dos funcionários públicos para a Caixa Geral de Aposentações

Miguel Frasquilho considera que a alteração metodológica na forma de contabilização das contribuições dos funcionários públicos para a Caixa Geral de Aposentações é “uma marosca”. Segundo o deputado do PSD “dir-se-á que à primeira foi um lapso – mas, ao reincidir, o Governo revela desonestidade intelectual e técnica – ou, como diz o povo, uma marosca, que nunca devia sequer passar pela cabeça de quem governa, que era suposto dar o exemplo”.

Durante a discussão na generalidade do Orçamento do Estado para 2010, Miguel Frasquilho declarou este “é o corolário de 5 anos de uma política económica em geral, e orçamental em particular, que foi errada, que empobreceu o País, minou a sua competitividade, contribuiu para um endividamento record, e acentuou as desigualdades sociais. Uma política, que segundo o deputado, “sempre mereceu fortes críticas da parte do PSD” e que apresenta uns “resultados catastróficos”. Exemplos desse fracasso são, segundo Miguel Frasquilho, “o crescimento económico reduzido; Portugal divergiu da média europeia, tornando-se mais pobre; o desemprego atingiu níveis record, arrastando consigo uma situação de verdadeira emergência social; o endividamento externo não parou de crescer”. “É este o resultado bem visível de cinco anos de governação socialista”, acrescentou.

Para o Vice-Presidente do Grupo Parlamentar do PSD não houve uma consolidação orçamental: “Tornou-se evidente que a consolidação orçamental estava por fazer e o défice disparou, atingindo 9.3% do PIB em 2009 – o maior défice em democracia”, e acrescentou que só “no ano passado, o Estado endividou-se ao impressionante ritmo de cerca de 1 milhão e 750 mil euros por hora”. O endividamento externo é mesmo, segundo o deputado, “o maior problema que o nosso país enfrenta”.

Segundo Miguel Frasquilho se o PSD fosse Governo “assentaria as suas opções numa política destinada a promover o investimento e as exportações e, sobretudo, no apoio às Pequenas e Médias Empresas”.

O social-democrata aguarda “com expectativa” a apresentação do Programa de Estabilidade e Crescimento , “que nunca antes como agora, terá um carácter tão decisivo para oferecer garantias e tranquilizar os observadores internacionais e os mercados, aliviando a pressão negativa dos holofotes que hoje incidem sobre Portugal”. E é precisamente porque o enquadramento externo que Portugal enfrenta é inegavelmente difícil que o PSD decidiu viabilizar o Orçamento para 2010.

11-02-2010 Partilhar Recomendar
26-11-2018
A dívida pública atingiu um máximo histórico com este governo
    Inês Domingos alertou para os riscos inerentes a estes valores.
26-10-2018
Estado deve devolver com juros as verbas cobradas indevidamente
    Teresa Leal Coelho apresentou a proposta do PSD para corrigir a injustiça entre as obrigações dos contribuintes e as obrigações do Estado.
11-10-2018
Dívida pública atingiu máximo histórico com este governo
    António Leitão Amaro recorda que dois terços dessa dívida foi criada por governos socialistas.
03-10-2018
António Leitão Amaro: Orçamento vem “com uma aditivação eleitoral”
    O social-democrata assegurou que o PSD apresentará propostas para um caminho alternativo.
21-09-2018
PSD quer impedir as cativações de verbas nas entidades reguladoras
    A iniciativa dos sociais-democratas foi apresentada por Duarte Pacheco.
22-06-2018
Combustíveis: o governo mentiu aos portugueses
    Paulo Rios de Oliveira afirmou que o governo mentiu e “continua a mentir, pois não corrige esta grave e injusta situação”.
21-06-2018
PSD quer proteger os portugueses da falsidade do governo e do aumento do preço dos combustíveis
    António Leitão Amaro frisou que o PSD quer que seja devolvido o que foi cobrado a mais em ISP.
21-06-2018
Sara Madruga da Costa assinala “hipocrisia, cinismo e oportunismo” do BE
    Em causa “a súbita alteração de posição” dos bloquistas em relação ao ISP.
21-06-2018
Comunistas são cúmplices do aumento dos impostos sobre os combustíveis
    António Ventura recordou que o PCP inviabilizou as iniciativas que pretendiam travar os aumentos.
21-06-2018
PSD defende a redução do Imposto sobre os Produtos Petrolíferos
    Cristóvão Norte recordou que o governo não cumpriu a palavra dada e que a consequência são mais de 1000 milhões de euros a menos no bolso dos portugueses.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas