Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
O PSD e o Governo defendem os pensionistas e os sistemas de pensões
A garantia foi deixada por Adão Silva no Plenário.

O Parlamento reapreciou, esta quarta-feira, o Decreto que estabelece mecanismos de convergência do regime de proteção social da função pública com o regime geral da segurança social e que revoga normas que estabelecem acréscimos de tempo de serviço para efeitos de aposentação no âmbito da Caixa Geral de Aposentações.

Intervindo em nome do PSD, Adão Silva começou por sublinhar que contrariamente ao que foi dito pelos socialistas, o PSD e o Governo defendem com realismo os pensionistas, os sistemas de pensões e o sistema social em geral. “Defendemo-lo com realismo e verdade. Defendemo-lo porque defendemos o equilíbrio das finanças públicas, umas finanças públicas equilibradas sem as quais não há futuro para as pensões em Portugal”.

Para atestar a necessidade desse equilíbrio financeiro, o Vice-Presidente da bancada do PSD recordou que os gastos com pensões em 2013 ascendiam já a 36% da despesa primária, quando em 2003 se ficavam por 23%. Já a evolução da despesa das pensões face ao produto interno bruto revela que se passou de 10% em 2003, para 15% em 2013. Assim, o social-democrata afirmou que é necessário fazer uma reflexão serena e sábia para garantir as pensões do sistema de pensões em Portugal.

De seguida, o parlamentar recordou que a economia é um dos fatores cruciais para garantir o futuro das pensões, o que levou o social-democrata a lembrar que os socialistas destroçaram a economia portuguesa. Contudo, recorda, estamos a mudar o rumo e os últimos dados que sobre o crescimento da economia são estimulantes, tal como os do crescimento do emprego. “Mudámos o rumo, graças ao empenho deste Governo que foi capaz de contrariar o estado destroçado em que deixaram o emprego e a economia”.

A terminar, Adão Silva apelou ao PS para que, depois de terem assinado o memorando do resgate, agora assinem como Governo e com os parceiros sociais o memorando da confiança e do compromisso.

22-01-2014 Partilhar Recomendar
11-04-2018
Governo e os partidos de esquerda estão em estado de gestão de eleições e de eleitorado
    Clara Marques Mendes apelou ao executivo e aos partidos que o suportam para que coloquem os interesses dos portugueses à frente dos seus interesses eleitorais.
11-04-2018
O PS não tem um propósito para o país e deixou-se levar pela esquerda-radical
    Carlos Barros considera que temos “um governo tóxico para o país”.
11-04-2018
“Bloco não tem a mínima preocupação com a sustentabilidade da Segurança Social nem com os futuros pensionistas”
    Mercês Borges condenou a postura do “tudo para alguns já, para os outros logo se verá”.
11-04-2018
Susana Lamas acusa o BE de “encenação e populismo”
    Na base da acusação estão os “exercícios de equilibrismo” dos bloquistas em torno do regime de reformas antecipadas.
14-03-2018
Legislação Laboral: as leis em vigor são boas
    Adão Silva questionou se ainda vamos ver o PCP na rua a gritar: “a luta continua, governo para a rua”.
14-03-2018
Legislação Laboral: Pedro Roque apela ao sentido de responsabilidade do PS
    O social-democrata alertou para os riscos de uma cedência dos socialistas à agenda da esquerda-radical.
14-03-2018
Susana Lamas: PCP insiste em reverter reformas e em permanecer no passado
    A deputada considera que os comunistas pretendem a retoma de legislação laboral que está obsoleta.
14-03-2018
“Governo não está a saber aproveitar a conjuntura favorável para preparar o futuro”
    Mercês Borges lamentou a apatia de um executivo que, além de não dar resposta às necessidades das empresas, deixa pairar a ameaça de uma revisão das leis laborais.
14-03-2018
Sandra Pereira: “o PCP cristalizou-se e parou no tempo”
    A deputada referiu-se à “inquietação” de um partido que defende uma coisa na rua e depois vota ao lado do governo.
07-03-2018
“Temos hoje a precariedade mais elevada dos últimos 15 anos”
    Carla Barros considera que o processo de regularização dos precários na administração pública revela que a esquerda está mais preocupada em proteger o governo que os trabalhadores.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas