Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
José Manuel Canavarro saúda proposta do Governo que visa assegurar a sustentabilidade do regime de pensões
O social-democrata considera que esta é uma marca civilizacional que importa manter.

No debate da Proposta de Lei do Governo que procede à primeira alteração à Lei que aprova as bases gerais do sistema de segurança social, José Manuel Canavarro reconheceu que a matéria em causa não é fácil e defendeu que as decisões devem ser tomadas perspetivando o que aí virá e não o que nos está a bater à porta.

Segundo o parlamentar as alterações em questão têm por base a situação demográfica do País a e sustentabilidade do regime de pensões. “E são muitos os desafios que o sistema de pensões tem de enfrentar: em primeiro lugar um desafio financeiro, porque a sua sustentabilidade não pode comprometer o equilíbrio financeiro do sistema; em segundo lugar social, porque a sustentabilidade tem de garantir níveis adequados de substituição de rendimentos aos pensionistas; em terceiro lugar económica, porque a sustentabilidade do sistema não pode comprometer a competitividade nacional e a capacidade de criar emprego”. De acordo com o parlamentar, os desafios elencados resultam das perturbações existentes na demografia e na economia.

De seguida, o parlamentar frisou que o modelo defendido pelo Executivo é o que vigora em vários países europeus e afirmou que o PSD está convencido que o impacto estimado pelo modelo de pensões a longo prazo decorrentes das alterações propostas permitirá atenuar o défice do saldo do sistema e esse é o garante de que o sistema tem futuro.

A terminar, José Manuel Canavarro admitiu que o que a Proposta do Governo propõe não é popular, “mas trata-se de resolver o futuro, sustentar um regime de pensões que é uma marca civilizacional, de o tornar ajustado às possibilidades reais e previsionais do País e à espectativa de vida das pessoas, continuando a conferir dignidade a uma vida depois do trabalho. Em suma, trata-se de fazer não apenas o que é possível, mas fazer o que é necessário para bem do futuro e para bem do País”.

29-11-2013 Partilhar Recomendar
15-03-2019
Esquerda governa para os eleitores e não para os portugueses
    Joana Barata Lopes lamentou que estes partidos governem sem pensar no futuro.
15-03-2019
Clara Marques Mendes coloca em evidência a hipocrisia do PCP
    A deputada lembra que os comunistas, apesar de verem as suas propostas chumbadas pelo PS, continuam a viabilizar os Orçamentos.
15-03-2019
Álvaro Batista: “com o governo das esquerdas 1 em cada 4 trabalhadores são precários”
    O social-democrata referiu-se à consciência pesada das esquerdas que prometeram reduzir a precariedade laboral e fizeram precisamente o contrário.
08-03-2019
PSD defende a criação de um Estatuto do Cuidador Informal
    A iniciativa dos sociais-democratas foi apresentada pela deputada Helga Correia.
08-03-2019
Cuidadores Informais querem respostas, não falsas ilusões
    Mercês Borges considera que falta vontade ao governo para dar resposta a este problema.
07-03-2019
Novo Banco: “queremos conhecer tudo em nome do interesse dos portugueses”
    Adão Silva exigiu explicações a António Costa sobre a “trapalhada” que se revelou a solução encontrada para o Novo Banco.
21-02-2019
Rui Cruz: “aquilo que foi dado aos portugueses, foi-lhes tirado por mais impostos, taxas, preços e tarifas”
    O deputado considera que “precisamos de um governo que seja capaz de induzir um crescimento económico robusto e continuado”.
21-02-2019
“Com o governo das esquerdas os trabalhadores precários aumentaram de forma explosiva”
    Álvaro Batista acusou a governação das esquerdas de ter falhado o objetivo de reduzir a precariedade.
13-02-2019
Portugal está a caminho de se tornar o quinto país mais pobre da União Europeia
    Joana Barata Lopes enfatizou que o combate à pobreza “é o único caminho que permitirá às pessoas a liberdade efetiva para construírem o seu plano de felicidade”.
13-02-2019
“Políticas públicas atuais têm falhado na redução da pobreza e das desigualdades sociais”
    Clara Marques Mendes frisou que precisamos de uma geração de políticas que promovam a economia, que enfrentem a demografia e que afrontem a pobreza e desigualdades sociais.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas