Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
Nuno Reis acusou os socialistas de terem “amnésia seletiva”
Na audição do Ministro das Finanças e do Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro o deputado atacou as posições dos socialistas e lembrou que o País continua a superar as avaliações da troika.

Nuno Reis questionou, esta terça-feira, o Ministro das Finanças e o Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro sobre a sexta avaliação do Programa de Assistência económica e financeira. Do ponto de vista do deputado é de extrema importância que se reconheça que Portugal receberá a sua sétima tranche de financiamento porque consegui passar com sucesso mais uma avaliação da troika. O social-democrata apontou as diferenças entre o nosso País e a Grécia e afirmou que é assinalável este grau de sucesso no ajustamento português, que é mérito do Governo mas principalmente do empenho que os portugueses estão a demonstrar no cumprimento destas medidas. Neste âmbito, o parlamentar lembrou que há importantes conquistas em termos de correção dos desequilíbrios que nos trouxeram até aqui: o ajustamento das necessidades de financiamento do sector privado rondavam os cerca de 10% do PIB, enquanto que em 2013 o País registará um superavit da balança corrente e de capital.

De seguida, Nuno Reis pediu informações adicionais sobre a reforma que o Executivo pretende implementar em matéria de IRC e questionou a Vítor Gaspar se considera que o nosso IRC é competitivo com o de outros países da União Europeia. Para o social-democrata é necessário garantir que às empresas com as mesmas características de risco sejam concedidas as mesmas condições de acesso ao crédito. Já a Carlos Moedas, o parlamentar recordou que, no entender do PSD e da troika, a agenda das reformas estruturais estão a evoluir de uma forma muito favorável mas questionou qual a perceção do Executivo.

No encerramento da audição, Nuno Reis mostrou-se convicto de que se é verdade que estamos a cumprir com sucesso as medidas de ajustamento, o ano de 2013 será decisivo. Quanto à postura dos socialistas, que há falta de razões para se desvincular do memorando tentam marcar uma fronteira com o Governo e com o memorando, o deputado frisou que nada apaga o ponto a que o País chegou fruto da sua governação e o memorando por eles negociado e assinado. O parlamentar falou mesmo em “amnésia seletiva” e em “dupla personalidade”. E para exemplificar estas acusações, e recorrendo a rábula da Olívia patroa e Olívia empregada, afirmou que enquanto Ministro, Pedro Silva Pereira inscreveu no memorando a possibilidade de dois terços das freguesias e municípios serem agregados. Já o deputado Pedro Silva Pereira é contra essa agregação.

18-12-2012 Partilhar Recomendar
Nuno Reis questiona Ministro das Finanças e Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro
Nuno Reis questiona Ministro das Finanças e Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro
22-06-2018
Combustíveis: o governo mentiu aos portugueses
    Paulo Rios de Oliveira afirmou que o governo mentiu e “continua a mentir, pois não corrige esta grave e injusta situação”.
21-06-2018
PSD quer proteger os portugueses da falsidade do governo e do aumento do preço dos combustíveis
    António Leitão Amaro frisou que o PSD quer que seja devolvido o que foi cobrado a mais em ISP.
21-06-2018
Sara Madruga da Costa assinala “hipocrisia, cinismo e oportunismo” do BE
    Em causa “a súbita alteração de posição” dos bloquistas em relação ao ISP.
21-06-2018
Comunistas são cúmplices do aumento dos impostos sobre os combustíveis
    António Ventura recordou que o PCP inviabilizou as iniciativas que pretendiam travar os aumentos.
21-06-2018
PSD defende a redução do Imposto sobre os Produtos Petrolíferos
    Cristóvão Norte recordou que o governo não cumpriu a palavra dada e que a consequência são mais de 1000 milhões de euros a menos no bolso dos portugueses.
15-06-2018
“O ano de 2016 marca o início de um período de ilusionismo político protagonizado pela dupla Costa/Centeno”
    No debate da Conta Geral do Estado 2016, Cristóvão Crespo recordou que “Catarina e Jerónimo foram os partners convenientes e coniventes”.
15-06-2018
Lei de Enquadramento Orçamental: governo pouca ou nenhuma atenção deu a esta matéria
    Duarte Pacheco questionou ao executivo se pretende fugir a um maior controlo orçamental.
24-05-2018
Combustíveis: “são 1350 milhões a mais para o Governo e a menos no bolso dos cidadãos”
    Cristóvão Norte referiu que “este é o retrato fiel da austeridade dissimulada ao serviço de um governo glutão”.
03-05-2018
Virgílio Macedo: é imperativo tornar o nosso sistema fiscal mais simples
    O social-democrata lamentou que três anos e meio após o governo tomar posse, não exista uma mudança de paradigma fiscal e ainda somos confrontados com mais aumentos de impostos.
20-04-2018
Programa de Estabilidade: PSD defende “uma alternativa de Mais Crescimento e Melhor Estado”
    Os sociais-democratas recomendam ao governo que prossiga a redução do défice e da dívida mas com “outro caminho de consolidação orçamental”.
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas