Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata
Facebook Twitter YouTube Sapo Vídeos Flickr instagram
Home Agenda Actualidade Deputados Direcção Galeria Contactos RSS
Plenário/Audiências/Comunicação Social/Comissões
Notícias/Plenário/Comissões
Por nome/Por comissão/Por círculo
Presidente/Direcção
Vídeos/Fotografias
 
“António Costa tenta reescrever a história com a maior desfaçatez”
Joana Barata Lopes acusou o “Primeiro-Ministro de não ter pejo em introduzir qualquer manobra que desvie as atenções”. No debate da Moção de Censura, a social-democrata denunciou a atuação do governo e de um Primeiro-Ministro que “tenta reescrever a história”.
“É perante esta Assembleia que o Primeiro-Ministro, em nome do seu governo, responde politicamente. Aliás, quando apresentava o Programa de Governo, em dezembro de 2015, disse o Primeiro-Ministro que era com uma «postura de diálogo e compromisso que se apresentaria perante esta Assembleia». Simulava uma humildade e até um respeito que nunca concretizou. Sabemos hoje que não se referia aos representantes de todos os portugueses. Que lhe importam apenas aqueles representantes que lhe permitiram estar no poder e manter o poder. E esses - PCP, BE e PEV - aplaudem com vigor, nos dias pares, o que antes repudiavam. E nos dias ímpares, fingem que nada têm que ver com este governo porque é preciso disputar votos”. Foi com estas palavras que Joana Barata Lopes iniciou a sua... (ver mais)
Partilhar  
“O PSD tem sido a mãe solteira que verdadeiramente criou o SNS ao longo destes 40 anos”
Ricardo Baptista Leite recordou que foi o PSD que implementou o SNS por todo o território nacional, que integrou os serviços de saúde materno infantil, que aprovou a lei de Bases da Saúde e que pagou as dívidas deixadas.
“No último debate quinzenal o Primeiro-Ministro reiterou múltiplas vezes que o PS é o Pai do Serviço Nacional de Saúde (SNS). E reconhecemos que o PS esteve na conceção do SNS na medida em que aprovou um decreto nos idos anos 70. Mas se é verdade que o PS foi o pai do Serviço Nacional de Saúde, não é menos verdade que o PSD tem sido a mãe solteira que verdadeiramente criou o SNS ao longo destes 40 anos. O PSD implementou o Serviço Nacional de Saúde por todo o território nacional. O PSD integrou os serviços de saúde materno infantil. O PSD criou as carreiras médicas e das demais profissões. Foi o PSD que aprovou a lei de Bases da Saúde que se mantém em vigor há quase 30 anos sem que nenhum partido a tivesse posto em causa. E quando o PS, pai do SNS, não pagava a pensão... (ver mais)
Partilhar  
“Menos 1.500 milhões de euros em investimento público. É isto o fim da austeridade?”
No debate da Moção de Censura, Emídio Guerreiro frisou que “os problemas do país resolvem-se cumprindo com o que se promete e não com palavras, anúncios e propaganda”.
Na discussão da Moção de Censura, Emídio Guerreiro levou a debate os problemas e dificuldades que os portugueses sentem no dia-a-dia. Depois de inúmeras promessas de que se ia “virar a página da austeridade”, o social-democrata confrontou o Primeiro-Ministro com a realidade dos números que demonstram que este governo realizou cortes brutais no investimento público.
Recorda o social-democrata que ao longo da governação o Primeiro-Ministro foi sempre afirmando a importância do investimento público para a recuperação económica. “Disse várias vezes que o governo anterior era um inimigo do investimento público. Que com o seu governo se virava a pagina da austeridade e se privilegiava o investimento. A poucos meses das eleições, olhemos então para o seu desempenho nesta... (ver mais)
Partilhar  
Propinas: o que esperar de um governo que diz uma coisa num dia e outra no seguinte?
Para Margarida Mano esta foi uma “legislatura perdida” devido à impossibilidade de conjugar uma “cegueira ideológica” com as políticas necessárias para o país.

Partilhar  
Ensino Superior nunca foi uma prioridade do BE e do PCP nas negociações dos Orçamentos
Duarte Marques refere que a defesa dos estudantes não é importante para estes partidos e por isso sempre ficou fora dos Orçamentos.

Partilhar  
“Portugal tem uma das mais baixas taxas de alojamento estudantil da Europa”
Manuela Tender entende que “proporcionar alojamento a custo acessível aos estudantes deslocados é um fator decisivo para promover a igualdade de acesso e para esbater as desigualdades sociais e económicas”.
Manuela Tender considera que a escassez da oferta de alojamento para estudantes do Ensino Superior deslocados a preços acessíveis não pode dissociar-se da criação de condições de igualdade de oportunidades de acesso e conclusão dos graus mais elevados de ensino e do combate ao abandono, que deve mobilizar o país. No debate sobre o Ensino Superior, a parlamentar lembrou que “Portugal tem uma das mais baixas taxas de alojamento estudantil da Europa: dos cerca de 120 mil alunos deslocados, a cobertura nacional abrange apenas 12 a 13% deste universo. Em Lisboa a oferta de camas em residências universitárias não ultrapassa os 9,5% e no Porto não chega aos 15%, o que representa um enorme esforço para as famílias, sujeitando muitas vezes os alunos a condições de alojamento... (ver mais)
Partilhar  
“Acabar com as propinas significa incorrer numa política socialmente injusta, demagógica e enganadora”
Nilza de Sena considera que esta medida “é um subsídio eleitoral às famílias de rendimentos médios e elevados”.
No debate sobre o Ensino Superior, Nilza de Sena começou a sua intervenção desmontando uma das muitas falácias da esquerda. Recorda a deputada que “para o ano letivo de 2018-2019, o valor máximo de propina pago pelos estudantes no ensino superior é de 1.063,47€. Em 2019-2020 será de 871,52€. Uma redução de 191,95€, e não de 212€ como tem vindo a ser erradamente comunicado. Ainda assim, e ouvindo palavras encantadas do governo, até parecia um presente generoso, amigo e bem-vindo, como sempre parecem as ofertas socialistas carregadas de açúcar, sorrisos e de simpatia.”
Contudo, adianta a deputada, acabar com as propinas significa incorrer numa política socialmente injusta, demagógica e enganadora. “Injusta porque significa beneficiar todos por igual, isto é, os ricos... (ver mais)
Partilhar  
“Universidades e Politécnicos vivem numa situação de verdadeira asfixia financeira”
Álvaro Batista questionou aos comunistas quando é que o vão assumir as suas responsabilidades pelos falhanços deste governo.
“Há três anos que o PCP, o PS e com o Bloco andam de mãos dadas a vangloriar-se dos sucessos do governo das esquerdas. Mas onde é que estão os sucessos, perguntam as pessoas e perguntamos nós? Onde é que estão os benefícios do governo das esquerdas que não se vêm, nem no Ensino Superior, nem no país. Com o atual governo, que o PCP se vangloria há 3 anos de apoiar, nunca houve tanta falta de financiamento nas universidades, nos politécnicos e na ação social”. Foi com estas palavras que Álvaro Batista iniciou a sua intervenção, esta sexta-feira, num debate sobre o Ensino Superior.
No seguimento de uma declaração dos comunistas, o social-democrata frisou que “com um governo em que só falta pagarmos impostos para respirar, com um governo que não cumpre os contratos que... (ver mais)
Partilhar  
“Foram 4 anos perdidos em matéria de alojamento estudantil”
Margarida Balseiro Lopes criticou a cumplicidade do Bloco de Esquerda com esta situação.

Partilhar  
“O PSD está e estará sempre do lado dos produtores agrícolas nacionais”
Nuno Serra manifestou a indisponibilidade dos sociais-democratas para criar mais entraves à produção, ao escoamento e à comercialização dos nossos produtos agrícolas.
No debate de iniciativas do PEV e do PAN sobre as regras de rotulagem para os alimentos geneticamente modificados, Nuno Serra afirmou que a insistência destes partidos com estas iniciativas pode significar que a visão destes partidos do mundo agrícola e do desenvolvimento rural “é de tal limitada que se concentra em três ou quatro iniciativas”, ainda para mais profundamente penalizadoras para os nossos agricultores, para o nosso tecido económico e social e para o nosso país”.
Passado um ano do último debate desta matéria, o parlamentar afirmou que o PSD reforça as ideias que elencadas na altura: “as iniciativas em discussão ignoram a ciência e inclusivamente as normas estatísticas, relativas ao intervalo de confiança e à margem de erro. Mas, infelizmente isso já... (ver mais)
Partilhar  
Seguinte Último
Galeria Vídeos
Galeria Fotos
Intranet GPPSD
Dossiers Temáticos
Canal Parlamento
Agenda
Newsletter
Submeta a sua Notícia
Links
Partido Social Democrata
Instituto Francisco Sá Carneiro
Grupo Europeu PSD
Juventude Social Democrata
Trabalhadores Social Democratas